Lançamento do livro Maria Clara Pó em setembro deste ano

“Alipio, o rato que queria ser turista espacial”, escrito por Maria Clara Pó e ilustrado por Flávia Grilo, é o primeiro livro da autora a chegar às livrarias portuguesas. O lançamento do livro infantil era para ter acontecido em Almeirim, uma cidade por quem a autora tem um carinho especial. No entanto, o evento teve de mudar de local devido à pandemia do Covid-19, uma decisão que entristeceu Maria Clara Pó.

O lançamento vai decorrer na Feira do Livro de Lisboa que vai decorrer a dia 12 de setembro pelas 20:00H com sessão de autógrafos.

“Alipio, o rato que queria ser turista espacial” conta a história de um rato que vive no Algarve que deixa a sua vida para trás para se aventurar e realizar o sonho de se tornar um turista espacial. “É um livro cheio de humor e peripécias, vão ter de ler para saber se ele consegue concretizar o seu sonho”, admite a autora.

Apesar de ser o primeiro livro a ser publicado, Maria Clara Pó nunca desistiu de ver um livro seu publicado: “Publicar um livro sempre esteve os meus horizontes, embora sem altura específica para o fazer”, admite Maria Clara Pó que agora viu o seu sonho ser realizado.

Desde pequena que Maria Clara Pó tem a paixão pela escrita: “A escrita sempre foi uma das minhas grandes paixões. Desde os tempos de escola que o meu dia preferido era o dia da redacção. Era nesses dias que podia transcrever para o papel as ideias que me estavam na cabeça e que depois muitas das vezes a professora me convidava a ler para os meus colegas.”, relembra a autora com carinho.

A autora admite que começou a querer escrever livros infantis na instituição onde trabalha e também com o filho e 18 sobrinhos e foi a partir daí que começou a escrever livros onde as personagens eram as crianças da Creche.

A partir daí, não parou mais de escrever histórias infantis e surgiram cada vez mais ideias: “E assim, surgiu o maravilhoso mundo das crianças e do imaginário que as envolve e foi despertando em mim vontade de escrever para elas e inspiradas por elas”.

Mariana Cortez

.