Não há soluções, há caminhos: 10 de agosto

Se se quer ter umas férias superficiais é uma coisa, se se pretende descansar e recuperar é outra. Os que querem a primeira hipótese fazem de conta que não estão para ninguém, evitam as conversas mais pessoais, não vá dali sair alguma coisa séria ou algum compromisso. Mas quem pretende descansar sabe que nada é melhor do que uma boa relação humana, o interesse pelos outros e um tranquilo exercício de diálogo. Sentir-se amado e capaz de amar.
Vasco P. Magalhães, sj
NÃO HÁ SOLUÇÕES, HÁ CAMINHOS
365 vezes por ano não perguntes porquê, mas para quê.

.