Jovem desaparecido morre em acidente

A autópsia e as amostras de ADN confirmaram que o corpo carbonizado que estava ao volante do Opel Tigra que se incendiou no embate num muro de sustentação da rotunda junto ao CNEMA é do almeirinense Flávio Dias da Silva e que estava dado como desaparecido há três dias. O funeral vai ser realizado esta terça-feira, dia 14 de julho, às 16 horas e 30 minutos no crematório de Almeirim.

Flávio Dias da Silva, um jovem de 27 anos, residente em Almeirim, estava desaparecido. A família relatava a O ALMEIRINENSE que Kenji, como também é conhecido, terá desaparecido de madrugada pois a mãe percebeu que pelas 6h já não estava em casa.

“Ele andava estranho e com tendência de depressão mas nunca fez isto antes. A hora de sair dele para o trabalho era as 8h45, mas às 6h já não estava em casa”, descreve a irmã.

Flávio, que trabalhava numa empresa de carros sem carta, saiu de casa num Opel Tigra, deixando cartão do telemóvel, multibanco e outros documentos em casa.

.