“Festa de Brancos” reúne 10 Vinhos do Tejo para celebrar a chegada do Verão

O Verão chega Sábado, dia 20 de Junho, e este ano, mais do que nunca, estamos ávidos de o receber e celebrar. A pandemia do novo coronavírus dita que os tempos sejam diferentes e obriga-nos a festas mais restritas. A Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVR Tejo) cumpre todas as normas, mesmo quando a lista de convidados é feita em vinhos, que sugere para uma “Festa de Brancos”. Para além do critério numérico – apenas 10 presenças –, os Vinhos do Tejo eleitos são novidades e destacam a casta Fernão Pires, a mais expressiva da região que é atravessada pelo rio que lhe dá nome, o Tejo!

Tem sido bastante interessante acompanhar a evolução dos Vinhos do Tejo, cada vez com mais qualidade e consistência, e a aposta notória que os produtores, em parceria com a CVR Tejo, têm feito na casta Fernão Pires, presente em vinhos de lote, mas também em monocastas – quatro deles aqui apresentados. Dos dez vinhos, seis são novas colheitas e quatro estreias, ou seja, representam as primeiras referências lançadas no mercado. Estão enunciados por ordem de prova, numa sugestão feita pelo sommelier Rodolfo Tristão, consultor da CVR Tejo.

Novas Colheitas

  • Maximo’s branco 2017 (Alveirão) – PVP: €8,50
  • Tyto Alba branco 2019 (Companhia das Lezírias) – PVP: €5,99
  • Ninfa Maria Gomes branco 2019 (João M. Barbosa Vinhos) – PVP: €9,00
  • Casal das Freiras branco 2019 (Casal das Freiras) – €5,40
  • Conde de Vimioso Colheita Seleccionada branco 2019 (Falua) – €4,49
  • Quinta do Casal Monteiro Grande Reserva branco 2018 (Quinta do Casal Monteiro) – PVP: €20,00

Estreias

  • Quinta S. João Batista Grande Reserva branco 2018 (ENOPORT) – PVP: €24,90
  • A.C.A. Fernão Pires branco 2018 (Adega de Almeirim) – PVP: €12,50
  • Dona Isabel Juliana branco 2018 (Quinta da Lagoalva) – PVP: €40,00
  • Quinta da Lapa Fernão Pirão branco 2019 (Agrovia) – PVP: €8,60

“Festa de Brancos” e os seus 10 convidados apresentados um a um

Maximo’s branco 2017 (Alveirão) • DOC do Tejo • PVP: €8,50

Castas: 80% Fernão Pires, Arinto, Malvasia Fina e Rabo-de-Ovelha

Álc.: 14,00% • Acidez Total: 4,61 g/l • Açúcares Totais: 0,8 g/l • pH: 3,18

Onde comprar: http://loja.wineman.pt/, El Corte Inglés e Graça do Vinho 

O produtor Alveirão, da zona de Tomar, destaca-se por produzir vinhos em regime biológico. Este branco, de cor amarelo-dourado, reúne as castas Fernão Pires, Arinto, Malvasia Fina e Rabo-de-Ovelha. É discreto no nariz, mas com evidentes notas florais e fruta de polpa branca. No paladar é fresco, encorpado e persistente.

Tyto Alba branco 2019 (Companhia das Lezírias) • DOC do Tejo • PVP: €5,99

Castas: 60% Fernão Pires e 40% Arinto

Álc.: 12,50% • Acidez Total: 8,00 g/l • Açúcar Residual: 0,9 g/l • pH: 3,36

Onde comprar: Companhia das Lezírias (loja e entrega ao domicílio); garrafeiras e restaurantes; Auchan Gourmet; El Corte Inglés; e site da Garrafeira Nacional

Instalada no meio da floresta, a vinha que dá origem ao ‘Tyto alba’ cresce em harmonia com a natureza. Este é um vinho produzido sob o compromisso de sustentabilidade ABC (+Ambiente, + Biodiversidade e – Carbono). Feito a partir das melhores uvas de Vinhas Velhas da casta Fernão Pires e Arinto, é um vinho com estágio parcial em barricas usadas de carvalho francês durante 5 meses, com batônnage durante os primeiros dois meses. De aspecto cristalino, cor citrina com laivos esverdeados, apresenta um aroma equilibrado entre floral e frutado, com nuances aromáticas das barricas onde fermentou. Um branco envolvente, fresco e com uma persistência sápida, profundamente mineral. 

Ninfa Maria Gomes branco 2019 (João M. Barbosa Vinhos) • DOC do Tejo • PVP: €9,00

Castas: 100% Fernão Pires

Álc.: 12,30% • Acidez Total: 6,00 g/l • Açúcar Residual: 1,5 g/l • pH: 3,01

Onde comprar: loja do produtor on-line, site Viva o Vinho Shop e em lojas da especialidade

Um monocasta de Fernão Pires, casta também designada por Maria Gomes, nome que o produtor João Barbosa elegeu para colocar no rótulo. Com diferenças consideráveis ao Fernão Pires típico da região, o ‘Ninfa’ tem uma frescura e aroma de calcite bem vincados. A maçã verde e o pêssego branco fazem parte integrante da sua prova de boca num ano em que o calor do Verão não se faz sentir. Elegante, salino e fresco com estrutura capaz de desafiar muitos pratos.

Casal das Freiras branco 2019 (Casal das Freiras) • IG Tejo • PVP: €5,40

Castas: 70% Fernão Pires, Trincadeira das Pratas e Arinto

Álc.: 13,00% • Acidez Total: 4,16 g/l • Açúcar Residual: 0,5 g/l • pH: 3,60

Onde comprar: restaurantes; garrafeiras; sites Viva o Vinho Shop, PMC Wine e Panorama Drinks

É a segunda colheita desta referência – ‘Casal da Freiras Colheita branco’ –, mas uma estreia com este blend de castas. Um branco clássico onde o Fernão Pires assume 70% do lote, ao qual se junta o Arinto e a Trincadeira das Pratas. Um vinho perfumado e de grande frescura, destacada pela conjugação de aromas frutados e florais.

Conde de Vimioso Colheita Seleccionada branco 2019 (Falua) • IG Tejo • PVP: €4,49

Castas: 50% Fernão Pires e 50% Arinto

Álc.: 12,50% • Acidez Total: 6,00 g/l • Açúcar Residual: 4,3 g/l • pH: 4,3

Onde comprar: El Corte Inglês, Continente, Pingo Doce, E.Leclerc, Auchan, Apolónia e em plataformas digitais como o clube de vinhos Enoteca, Garrafeira Estado d’Alma, Portal Portugal Vineyards, Adegga MarketPlace e Viva o Vinho Shop

Fernão Pires e Arinto casados num branco ideal para acompanhar pratos de peixe, carnes brancas e massas. De cor citrina, suave e fresco, apresenta aromas tropicais a lembrar o ananás e a manga, combinados com notas florais de rosa. Na prova é elegante e envolvente, apresentando um perfumado e longo final de boca.

Quinta do Casal Monteiro Grande Reserva branco 2018 (Quinta do Casal Monteiro) • DOC do Tejo • PVP: €20,00

Castas: 100% Fernão Pires

Álc.: 13,50% • Acidez Total: 6,70 g/l • Açúcar Residual: 0,9 g/l • pH: 3,23

Onde comprar: na adega da Quinta, que faz entregas ao domicílio

De uma emblemática casa agrícola do Tejo, estamos perante um monocasta de Fernão Pires, com uvas plantadas em solos de aluvião (no terroir Campo), outrora inundáveis pelo rio Tejo, com mais de 35 anos. Este branco prima por ser estagiado em barricas novas de carvalho francês e americano, durante nove meses, o que lhe confere uma maior complexidade associada à frescura aromática e potencia a harmonização com peixes de confecção elaborada. Uma edição limitada a apenas 2048 garrafas. 

Quinta S. João Batista Grande Reserva branco 2018 (ENOPORT) • DOC do Tejo • PVP: €24,90

Castas: 40% Fernão Pires, 30% Chardonnay e 30% Sauvignon Blanc

Álc.: 13,50% • Acidez Total: 6,00 g/l • Açúcar Residual: n.d. • pH: 3,33

Onde comprar: Loja Online Enoport, Garrafeira Enopoint em Bucelas, Brevemente na Garrafeira Nacional

Um branco de lote, em que à Fernão Pires (40%) se juntam duas castas internacionais, a Chardonnay (30%) e a Sauvignon Blanc (30%), em que o estágio é feito em barricas de carvalho francês, durante um ano. De cor dourada intensa, apresenta um aroma complexo e intenso, a lembrar frutos secos torrados, como amêndoa e avelã. O volume de boca é macio e tem uma acidez equilibrada, sendo o final prolongado. Acompanha bem peixes gordos assados no forno e queijos fortes. 

A.C.A. Fernão Pires branco 2018 (Adega de Almeirim) • DOC do Tejo • PVP: €12,50

Castas: 100% Fernão Pires

Álc.: 12,50% • Acidez Total: 5,75 g/l • Açúcar Residual: 1,3 g/l • pH: n.d.

Onde comprar: loja da Adega e no site www.adegaalmeirim.pt

Um 100% Fernão Pires lançado no final de 2019, mas que é a primeira colheita desta referência, uma aposta diferenciadora da Adega de Almeirim, feita com uvas de uma vinha velha da Charneca ribatejana, implementada em solos pobres de natureza arenosa. Uma cuidada fermentação, em barricas de carvalho francês e temperatura controlada, e uma “batonnage” sobre borras finas durante 45 dias, deu origem a este branco de cor citrina, aromas de frutos de polpa branca e notas de flor de laranjeira. Na boca, revela um excelente equilíbrio com acidez fina e crepitante, mostrando-se longevo e com notas complexas no final de boca. Bastante versátil, é um bom acompanhamento para queijos de pasta mole, peixes no forno condimentados, bacalhau com natas e nossa famosa sopa da pedra.

Dona Isabel Juliana branco 2018 (Quinta da Lagoalva) • IG Tejo • PVP: €40,00

Castas: 35% Fernão Pires, 33% Viosinho e 32% Alvarinho

Álc.: 12% • Acidez Total: 5,72 g/l • Açúcar Residual: 1,7 g/l • pH: 3,38

Onde comprar: directamente ao produtor, através de encomendas@lagoalva.pt, na loja do produtor, em Alpiarça (rotunda dos Patudos) e em garrafeiras

Depois do tinto, é a vez da Quinta da Lagoalva lançar o seu topo de gama em branco, o ‘Dona Isabel Juliana’, um blend de Fernão Pires (35%), Viosinho (33%) e Alvarinho (32%), vinificadas em separado. O mosto fermenta em barricas de carvalho francês, de 500 litros. Também o estágio é feito em madeira, durante 10 meses, com bâttonage semanal durante dois. Com uma cor amarelo pálido e aroma complexo a fruta branca, tem notas de pêra e aroma mineral associadas à elegância da baunilha proveniente da madeira. Na boca é gordo, fresco e equilibrado. Servi a 12.º C com carnes grelhadas, peixes, marisco ou queijos de pasta mole.

Quinta da Lapa Fernão Pirão branco 2019 (Agrovia) • DOC do Tejo • PVP: €8,60

Castas: 100% Fernão Pires

Álc.: 13,00% • Acidez Total: 4,74 g/l • Açúcar Residual: 1,0 g/l • pH: 3,43

Onde comprar: on-line em Viva o Vinho Shop e Adegga Marketplace

Feito apenas com Fernão Pires, este é um branco ainda mais particular, porque é um Fernão Pirão, um vinho histórico da nossa região, possuindo características muito particulares que resultam do facto de as uvas brancas e sobre-maduras serem vinificadas com curtimenta a temperaturas elevadas, o que lhe confere um perfil aromático de complexidade singular. Este vinho insere-se numa nova gama de vinhos produzidos pela Quinta da Lapa, que revisita as práticas tradicionais e as castas históricas da região Tejo. Há quem sugira que o Fernão Pires é um “vinho laranja” português, que surgiu muito antes deste perfil de vinhos se ter tornado uma moda. Como se diz nas “Fazendas”, onde tem origem, trata-se de “um branco que se bebe como um tinto”.  De cor palha dourada com laivos acastanhado, tem aroma a melão e fruta de caroço, notas complexas de oxidação, resultantes da vinificação. A entrada em boca é marcante, revelando volume e corpo, de novo com notas complexas de evolução com laivos terpénicos e o característico melado ou “torradinho” do Fernão Pirão. Pelo seu palato intenso e complexo, pelo seu volume de boca e estrutura, este Fernão Pirão é muito versátil na sua associação a uma vasta paleta de comidas gerando harmonizações perfeitas com mariscos grelhados, polvo assado, pratos com açafrão, arrozes de forno, receitas asiáticas especiadas com caril, satay ou pimenta de Sichuan, com queijos curados e de sabores fortes, enchidos intensos, peixes fumados e de salmoura. Sobretudo, pela sua originalidade, este vinho desafia-nos a descobrir conjugações ousadas com os ingredientes mais improváveis.

Sobre a Comissão Vitivinícola Regional do Tejo:

A Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVR Tejo) foi criada a 24 de Novembro de 2008, tendo sucedido à Comissão Vitivinícola Regional do Ribatejo, fundada a 17 de Setembro 1997. É uma associação interprofissional que representa a produção e o comércio do sector vitivinícola da região. A sua competência consiste em controlar o cumprimento das regras e a certificação dos vinhos brancos, rosés, tintos, espumantes, licorosos e vinagres produzidos na região com direito a Denominação de Origem do Tejo (DO do Tejo) e a Indicação Geográfica Tejo (IG Tejo). Todos os vinhos certificados pela CVR Tejo têm o selo de garantia ‘Tejo’ no rótulo. Tem como missão ajudar os produtores a aumentar a sua presença nos mercados estratégicos, com vinhos empolgantes e estilos diferenciados, oferecendo ao consumidor, continua e consistentemente, qualidade a bom preço.

Com 87 agentes económicos associados – de entre adegas cooperativas, produtores e engarrafadores, empresas vinificadoras e engarrafadores da região –, a CVR Tejo é presidida por Luís de Castro, desde 01 de Maio de 2014. José Barroso ocupa o cargo de Presidente do Conselho Geral e João Silvestre o de Director-Geral. Luís Vieira e Diogo Campilho são, respectivamente, Vogais do Comércio e Produção. Integra ainda a CVR Tejo um Gestor de Qualidade, um Departamento de Viticultura, uma Estrutura de Controlo e Certificação, da qual fazem parte uma Câmara de Provadores e um Laboratório de Análises subcontratado e um Departamento de Promoção, destinado a apoiar os produtores, nos mercados nacional e internacional.

.