Não há soluções, há caminhos: 16 abril

A caixa dizia “frágil” e o homem transportava-a com tal cuidado que até deu um safanão com o pé ao miúdo que se lhe meteu à frente! Que preciosidade seria aquela? Com as pessoas todo o cuidado é pouco. Mas passa-se por cima delas com tanta facilidade!…
Vasco P. Magalhães, sj
NÃO HÁ SOLUÇÕES, HÁ CAMINHOS
365 vezes por ano não perguntes porquê, mas para quê.

.