Flores que matam

Mais um ano começa e a preocupação com a nossa Vala Real mantém-se, pois hoje em dia é apenas uma plantação de jacintos-de-água, em vez da zona ribeirinha natural e de recreio que deveria ser. Desde 2012 que somos a voz que alerta e denuncia a sua degradação pela poluição,pela eutrofização e descargas de efluentes. Denunciámos a utilização de curas químicas que apenas atuavam na folhagem à vista e não resolviam o problema de fundo.

A planta jacinto-de-água pode parecer bonita, mas é perigosa. O seu manto verde impede a oxigenação da água afetando todo o ecosistema. Propaga-se sobretudo em cursos de água com pouca corrente e ricos em nutrientes, que advêm sobretudo dos fertilizantes aplicados na agricultura, mas também devido às debilidades do tratamento de águas residuais pelas ETARs. Em novembro de 2019, o PEV elaborou um projeto de resolução para controlo do jacinto-de-água. Entre outras medidas, define os apoios necessários à colaboração das câmaras municipais e juntas de freguesia, constituindo assim uma rede de cooperação e partilha de conhecimento. Como ecologista preocupada com este tema, participei em conjunto com muitas pessoas, na marcha em defesa do rio Sorraia, também bastante afetado com os jacintos-de-água. Gostava que mais almeirinenses partilhassem desta vontade em defender a Vala. Parece-me ser uma boa resolução para 2020.

Por Ana Rita Fernandes

.