Editorial de 15 janeiro

Pegamos nestes dois casos, não para mostrar o quanto a prática de desporto pode e deve influenciar positivamente a vida das pessoas só no plano fisíco, mas em tantas outras áreas.

Eu que também corro, sou dos que defende que o excesso pode ser prejudicial, mas a parte psicológica não terá nunca prejuízo, antes pelo contrário. O Weslen, que tem formação académica e veio à procura de uma vida melhor, ficou afastado do seu maior tesouro a mãe e contra ventos e marés foi superando tudo. É grande. Por vezes, dizem os seus colegas de treino, um pouco fingido mas haverá quem ainda seja muito mais. A história protagonizada pelo Francisco Cachulo tem alguns meses. Fez 90 km na cidade. Deu 31 voltas durante 12 horas. Infelizmente só soube agora, mas julgo ter sido há tempo porque não está ao alcance de todos. No desporto, como na vida, devemos ter metas, objetivos e convicções. Também na imprensa e no jornalismo nós fazemos isso. Vamos agarrar estes dois exemplos no início do ano e ganhar ainda mais força para um grande 2020.

Valter Madureira

.