As políticas

Muito se fala de políticas de direita e de esquerda, mas será que todos sabemos o pensamento que as separa e onde nos situamos? Existe uma clara divergência quando abordamos o papel do Estado, a igualdade de direitos, ou mesmo o pagamento de impostos. A esquerda considera o Estado como o principal pilar de desenvolvimento, advogando que os principais serviços devem ser públicos e gratuitos. Interessante, mas quem paga tudo isto? e será que pagamos todos igual e de forma justa? Os ideais de esquerda defendem um claro pagamento de impostos que suporte o peso do estado. Apregoam combate à desigualdade social com distribuição igual de rendimentos. Se bem entendo o que conta é o colectivo, i.e., trabalhe-se muito ou pouco deve existir rendimentos iguais. Parece pouco incentivador do desenvolvimento pessoal e da economia, não? Para a esquerda o enfoque é feito no trabalhador em detrimento da empresa, advogando que a sociedade será melhor se os trabalhadores tiverem melhores salários. Acho bem, assim hajam boas empresas para pagar, certo? A direita nestes pontos consegue ter uma posição diametralmente oposta. Defende que a intervenção do Estado se deve limitar ao essencial, servindo de orientador e regulador da sociedade. Neste sentido, considera que o pagamento de impostos deveria ser mínimo, pois um estado mais magro não necessita de tanto dinheiro. Consequentemente, menos impostos, mais rendimento disponível para empresas e famílias. Defende que deve existir igualdade
sim, mas de oportunidade, premiando aqueles que mais trabalham, e que mais se esforçam com melhor salário. O enfoque está nas empresas. Se estas tiverem melhores condições para prosperar e para obterem bons resultados, passam a dispor de condições para pagar mais e melhores salários e podem verdadeiramente dinamizar toda a economia. Esquecendo ideias pré-concebidas ou incutidas por pais ou amigos, onde é que você realmente se posiciona? Fica aqui a reflexão.

Nuno Fazenda
PSD Almeirim

.