Pedro Garcia voltou a conseguir o pódio na Subida à Glória

Tiago Simões venceu, no sábado dia 23, a clássica lisboeta ‘Subida à Glória’ em bicicleta, ao cumprir os 265 metros do percurso e com um declive máximo de 17% com o tempo de 37,8 segundos. O ciclista da equipa BTT Team Anajô Piscinas não deu hipóteses à concorrência, superando o segundo classificado e vencedor da edição 2016 Pedro Garcia da Ass. 20 kms de Almeirim, que registou o tempo de 39,6 segundos. A fechar o pódio, com o tempo de 43,1 segundos, ficou Ricardo Marinheiro da equipa Maiatos, vencedor das edições de 2013, 2014 e 2015.

Participaram na prova centenária, criada em 1910, cerca de 150 atletas, com Fernando Pimenta, campeão mundial de K1 5.000 metros, a terminar a íngreme subida na 40.ª posição, com o registo de 54,4 segundos.

Lisboa tem uma tradição centenária no que diz respeito às corridas de bicicleta. Desde o final do século XIX são realizadas nas ruas da capital várias provas de ciclismo e a Subida à Glória é uma das mais emblemáticas e marcantes da história.

Com 265 metros de distância e uma inclinação de 17%, a calçada da Glória faz parte da génese do ciclismo de competição em Portugal. Disputada desde 1910, e oficializada em 1913, corrida ‘Subida à Glória’ não sofreu alterações de percurso.

Mais de um século depois, a prova regressou às ruas de Lisboa e muitos têm sido aqueles que mantêm a tradição numa subida vertiginosa.

Em 2016, Pedro Garcia foi o grande vencedor da prova ao interromper o domínio de Ricardo Marinheiro, que mesmo assim ainda detém o recorde de 39,77 segundos.

Este ano, o ciclista natural de Almeirim regressou para tentar defender o título.

.