Casa das Botas em Almeirim descende da Sapataria Calado

José Maria Figueiredo Rodrigues passou a sua vida rodeado de botas. Desde tenra idade começou a trabalhar no ramo, mas sem ter muito gosto por esta arte que “está em vias de extinção”. Começou com o tio, por “obrigação”, e quis o destino uni-lo pelo no matrimónio com uma mulher também ela ligada ao calçado.

Como, quando e porquê esta arte?
Comecei muito novo. Com cinco anos já trabalhava com o meu tio a aprender o ofício! Não era muito do meu agrado, porque exigia muita concentração e, como todos os miúdos, eu não queria estar parado! Mais tarde, na juventude, tive outra paixão, que foi o ciclismo, ao qual me dediquei durante alguns anos e percorri todo o país a desempenhar este papel que muito me gratificou. Passado um tempo, conheci a minha esposa e parecendo sina, também ela estava ligada ao calçado, e lá vim eu parar ao mesmo… (risos) e assim foi até hoje. Agora também tenho o meu filho nesta área, que é a minha mais preciosa ajuda. É a herança que lhe deixo (risos).

O que podemos encontrar nos seus estabelecimentos e nas exposições?
O que fazemos é o fabrico artesanal em botas caneleiras; sapatos de campino, forcado; socas e chinelos para o folclore, com fabrico à mão com peles de vitela e cabra ensebada, curtidas em sistema vegetal. Este é um calçado fabricado há gerações pelos nossos mestres sapateiros, destinado ao uso no mundo rural e equestre, bem ao jeito da nossa zona, mas não só! Estou a dar seguimento à tradição de Família. Somos um dos estabelecimentos mais antigos em Almeirim, pois existimos há mais de 50 anos, e vou continuar a respeitar os costumes antigos, que foram conhecimentos transmitidos de geração em geração. Mas também tenho a capacidade de inovar para outros designs: criando novos modelos, indo ao encontro das novas tendências,para a juventude, como botas e sapatos com solas de borracha, aproveitando a técnica antiga manual; de fabricar novos modelos à medida do cliente (homem e senhora) sempre que seja necessário. A prova disso é que agora, por exemplo, temos as botas dedicadas ao escutismo. O calçado da Casa das Botas é totalmente concebido em pele natural e de fabrico manual e semi manual, apurado em cada um dos seus pormenores, para proporcionar conforto e durarem anos.

 

casa-das-botas

 

Costuma percorrer o país em épocas de feiras?
Sim, vamos sempre que possível, fazendo a divulgação desta arte. Mesmo sem ser no ribatejo, este é um produto muito procurado e apreciado, por todos os motivos… é um trabalho artesanal (tem logo outro apreço) e com longa durabilidade, devido à qualidade do produto que é trabalhado. O calçado da Casa das Botas é um produto de excelência, cujo conforto e qualidade têm sido sempre a sua principal marca de confiança.

Será que é uma arte em vias de extinção?
Está-se a fazer esforços para conseguir fazer um curso. Já houve contacto com o nosso Presidente (Pedro Ribeiro) e até com o Presidente da Câmara de Alpiarça nesse sentido. Mas há que juntar esforços nesse sentido e como a ideia é longa e tem vários caminhos a percorrer, voltamos a esse assunto noutra oportunidade.

Contactos:
Casa das Botas: Rua Marechal Gomes da Costa, Almeirim
Exposição: Portão 6 da Arena de Almeirim
Casa das Botas: Rua de Coruche (perto da Repsol), Almeirim
Tel: 915511907 | casadasbotas@gmail.com
Web: https://www.facebook.com/casadasbotas.almeirim

.