Morreu Raimundo Seixas. Autópsia terça-feira e funeral na quarta em Almeirim

Raimundo Seixas morreu, este sábado 13 fevereiro, no Algarve de morte súbita.

Raimundo Manuel Sá Seixas Silva Silva foi um dos grandes guitarristas na música portuguesa, em particular no fado. Depois de ter deixado Almeirim, Raimundo Seixas vivia agora no Algarve, onde morreu com apenas 68 anos de idade.Raimundo Seixas e Zoran

Raimundo Seixas teve como mestre Leonel Minderico que era barbeiro, pai de Carlos Minderico (que tem hoje uma casa de vinhos) e nesse mesmo lugar existia uma barbearia e que nas horas vagas ensinava a tocar guitarra e viola, mas apenas para o fado. Leonel Minderico mestre de grandes guitarristas. Era conhecido por mestre Leonel Minderico.

Raimundo Seixas vai ser autopsiado na manhã de terça-feira, dia 16 de fevereiro, de seguida será feita uma homenagem no Algarve e chega durante a tarde a Almeirim. O corpo fica em câmara ardente na Capela do Cemitério e o funeral realiza-se quarta-feira, dia 17 de fevereiro.

Ainda não é conhecida a hora do funeral e está também a ser ponderada uma homenagem em Almeirim.

João Pina, amigo de Raimundo Seixas, descreveu no facebook como o “meio” soube da noticia:

DESCANSA EM PAZ RAIMUNDO

A noite de 13 de fevereiro foi de alegria, mas de grande tristeza.
Estávamos no Teatro do Boa Esperança a assistir à estreia da revista “Eles Querem é… Fado e Baile!”, quando o Carlos Pacheco no final agradecia aos artistas, técnicos e músicos que colaboraram no êxito que acabávamos de ver, agradeceu, também, ao mestre da guitarra portuguesa, Raimundo Seixas.

Alguém da plateia, elevou a voz e disse:
O Raimundo morreu hoje.

As pessoas ficaram mudas, e em silêncio, Carlos Pacheco, mestre do improviso engasgou-se, ficou pálido – não sabia – e, de seguida – O Raimundo Seixas colaborou musicalmente e deu outra sonoridade à banda sonora que nos acompanha neste palco de revista à portuguesa.
Obrigado Amigo e Mestre, Raimundo Seixas.

O público deu um safanão nas lágrimas e aplaudiu como o Raimundo gostava e diariamente agradecia nas casas de fados do Algarve e nos teatros do país.

Nesta noite de luto, assistíamos ao nascimento de uma nova estrela do fado e do teatro musicado, o jovem portimonense, João Leote, que Raimundo Seixas acompanhou à guitarra e deu as primeiras luzes do saber cantar bem.

Pessoalmente, a noite de ontem não foi a mesma, não será mais.
O Raimundo foi um companheiro de noites sem fins, sempre ligadas ao fado e às guitarradas e, agora meu amigo, quem é que convido para as noites de gala de fado nos casinos, e com quem vou depois comer aqueles saborosos «preguinhos no pão» regados a tinto pelas madrugadas.

Partiste, mas continuas connosco através da tua música.
https://youtu.be/RpZymw8vlcM

Descansa em paz, meu querido e bom amigo, Raimundo Seixas.
João Pina
14.02.2016

.