“Temos jovens que podem atingir o topo da arbitragem”

Jorge Maia é o rosto do Núcleo de Árbitros da Lezíria do Tejo, criado recentemente em Almeirim.  O também árbitro explica em entrevista como se está a trabalhar no centro de treinos e revela que há muito potencial nos jovens que recentemente começaram. José Fontelas Gomes da APAF e Vítor Pereira do Conselho de Arbitragem da Federação apoiam grupo ribatejano que se estabeleceu no concelho. 

Como surgiu o Núcleo de Árbitros da Lezíria do Tejo (NALT)?
Aproximadamente há oito anos atrás, um grupo de árbitros tem trabalhado com o objetivo de aperfeiçoar a sua formação técnica e prática ao nível da arbitragem, tendo nos últimos três anos criado o Centro de Treinos de Árbitros em Almeirim. A adesão dos árbitros a este projeto tem excedido as expectativas iniciais tanto nas sessões teóricas como nos treinos, funcionando já como se tratasse de um núcleo. Assim sendo, no dia 21 de maio de 2015, tomámos a iniciativa de criar o Núcleo de Árbitros da Lezíria do Tejo. Os Núcleos de Árbitros são um pólo de formação e atualização permanente da arbitragem, quer no desenvolvimento teórico, quer no aperfeiçoamento técnico. Neste contexto oferecem aos presentes, sessões de informação privilegiada para um melhor desempenho dos árbitros em todas as suas componentes, em colóquios, seminários, ou debates com outros agentes ligados à estrutura do futebol, contribuindo de forma variada para uma arbitragem de qualidade.

O que representa a oficialização do NALT?
É o passo natural de uma estrutura que estava a crescer e que precisava de se oficializar para poder dar mais e melhores condições aos Árbitros. Aumenta a nossa responsabilidade mas é algo para o qual estamos preparados. O conselho de arbitragem foi fundamental para a nossa oficialização pois insistiram bastante para que isso acontecesse e apoiaram-nos no processo de criação do núcleo.

Depois do fim do núcleo em Coruche, fazia falta algo do género na zona centro e sul do distrito. Concorda?
Concordo. Os árbitros nesta zona do distrito não tinham local onde se juntar e trabalharem com mais qualidade, e não fazia sentido a sua deslocação para a zona norte do distrito, quer para treinar quer para as sessões teóricas. Esse foi mais um dos fatores que nos fez querer avançar. Existe um outro núcleo no norte do distrito o NAFRN que trabalha bem, mas havia a necessidade complementarmos esse trabalho para os Árbitros do centro e Sul do distrito.

Qual a abrangência geográfica que vão ter?
Temos regularmente a treinar e a trabalhar connosco Árbitros do Concelho de Torres Novas aos Concelhos de Benavente e Coruche. Obviamente a maioria são dos Concelhos de Almeirim, Alpiarça e Santarém. Desde já lançamos também o desafio a árbitros de outras modalidades que queiram estar connosco em ações de interesse mútuo.

Que tipos de trabalho têm efetuado?
O Núcleo de Árbitros absorveu na sua organização o já existente (e a partir desta época oficializado como um dos Centros de Treino da Federação Portuguesa de Futebol) Centro de Treinos de Árbitros de Futebol – Almeirim e estamos agora a trabalhar tanto a componente física e prática como a componente teórica dos Árbitros.

O Núcleo de Árbitros da Lezíria do Tejo tem dois treinos no campo sintético, mas também realiza trabalhos na sala?
Sim, realizamos um treino no Estádio Municipal (Campo de futebol de 11) e outro no Parque Desportivo (Campo de futebol de 7 e pista de atletismo) semanalmente. Quinzenalmente temos sessões em sala (no auditório do Estádio Municipal) onde trabalhamos a componente teórica, leis de jogo, discussão de situações de jogo…

A que se propõem fazer para esta temporada?
O NALT no estágio de início de época em Fátima, junto dos agentes de arbitragem, deu a conhecer o seu plano de ação que pretende levar a efeito, neste sentido iremos promover:
Sessões Teóricas e Técnicas de Futebol 11 e futsal, debates, colóquios e seminários temáticos, encontro desportivo com outros Núcleos, participar no torneio inter-núcleos organizado pela APAF, um convívio de Natal, colaborar com o curso de árbitros de nível I que decorrerá entre outubro e novembro e preparar as provas intercalares e finais. Esta época numa iniciativa inédita e conjunta entre o CA da AFS e os dois núcleos de árbitros oferecemos a todos os clubes do distrito que se mostrassem interessados a possibilidade de nos deslocarmos até eles e promovermos ações sobre leis de jogo.

Quantos árbitros têm?
O NALT conta com a presença de cerca de 50 árbitros nesta zona, no entanto diariamente contamos com 20 a 25 árbitros, que por vezes não são sempre os mesmos nos treinos ou sessões, que por várias razões ( Jogos, Lesões ou Motivos Profissionais) nem sempre estão presentes.

Como se consegue atrair mais árbitros?
O nosso Conselho de Arbitragem de Arbitragem tem feito um trabalho muito positivo nesse campo, os cursos de formação inicial dos últimos anos têm tido bastante sucesso com captação de jovens nas escolas, nos clubes. Os núcleos também têm contribuído para isso indicando e encaminhando muitos jovens para esses cursos. Aproveitamos para informar que as inscrições para o próximo CURSO DE ÁRBITRO se realiza de 17/10/2015 a 22/11/2015, estão abertas e que as candidaturas poderão ser feitas até 10 de outubro pelo email arbitragem@afsantarem.pt ou site da A.F.Santarém – Como ser árbitro.

Quais os desafios e tipo de trabalho dos núcleos, em particular Núcleo de Árbitros da Lezíria do Tejo?
O maior desafio é conseguir aumentar o número de Árbitros de ano para ano, receber os árbitros que todos os anos terminam os cursos de formação inicial integrá-los e acompanhá-los.

NALT-conferencia

Almeirim poderá vir a ser um viveiro de árbitros?
Graças a um apoio fantástico que a Autarquia, nas pessoas do seu Presidente Pedro Ribeiro e Vice- Presidente Paulo Caetano, nos tem dado, hoje Almeirim, pode oferecer aos Árbitros que cá se queiram preparar, condições muito boas de treino e estudo.
Acreditamos que muito do futuro do Arbitragem Distrital e Nacional está a passar por aqui e ficamos contentes por ver que esse grupo está a crescer em número e em qualidade.

Temos árbitros jovens que podem atingir o topo?
Sim, estamos convictos que temos Árbitros a trabalhar connosco com enorme potencial e que a curto espaço de tempo poderão atingir patamares elevados. São jovens que já trabalham connosco há cerca de quatro anos e que com o seu trabalho, empenho, conhecimento e dedicação naturalmente ocuparão o seu lugar nos quadros nacionais. Mas não vivemos obcecados por esse objetivo, porque há fatores que não dependem só dos árbitros para atingirem o topo e que por uma razão ou outra ficarão em patamares intermédios.

Como correu a ação com Duarte Gomes?
Muito bem. Foi a nossa primeira ação teórica e conseguimos mobilizar muita gente, sendo um momento de muita qualidade e elevação. Ao estabelecermos convite a Duarte Gomes, o mesmo prontificou-se logo em estar presente.
Tivemos um contratempo de última hora, o José Gomes (Presidente da APAF) não pode estar presente por motivos de saúde de um familiar, mas rapidamente arranjamos um substituto à altura o André Campos, Árbitro Assistente Internacional.

Podemos ter com mais regularidade iniciativas do género?
Claramente que sim, a ideia é poder trazer a Almeirim grandes nomes ligados à Arbitragem, não só Árbitros que são os nomes mais mediáticos, mas também pessoas de referência no meio, desde técnicos, psicólogos, preparadores físicos de forma a poder dotar os nossos Árbitros de uma variada informação e partilha de experiências enriquecedoras para eles.

.