Angola não compromete plano de investimentos da Sumol+Compal

O plano de investimentos da Sumol+Compal em Angola “está a ser cumprido”, disse o presidente do Centro de Frutologia Compal, José Jordão, adiantando que os primeiros sumos produzidos na fábrica local vão estar no mercado já em novembro.

“Estamos atentos ao que se está a passar [em Angola] obviamente (…), mas não houve qualquer espécie de adiamento, vamos cumprir o plano de investimentos”, salientou, à margem de um debate sobre empreendedorismo frutícola no qual foram igualmente entregues as bolsas aos melhores projetos da Academia 2015 do Centro de Frutologia Compal.

A fábrica da Sumol+Compal instalada no Bom Jesus, nos arredores de Luanda, vai produzir sumos que deverão chegar ao mercado em finais de outubro ou início de novembro, devendo iniciar a produção de refrigerantes em 2016.

José Jordão afirmou que os investimentos vão continuar direcionados para a vertente internacional, para reduzir a dependência do mercado nacional, que ronda os 55 a 60%, apesar de o consumo interno estar a recuperar desde o final do ano passado.

“Estamos a ganhar quota de mercado”, destacou, adiantando que os níveis de consumo rondam, atualmente, os 12 a 13 litros anuais ‘per capita’ e a aproximarem-se dos 14 a 15 litros ‘per capita’ que eram consumidos antes de 2011.

Ainda assim, um valor distante do consumo médio europeu de 25 a 30 litros de sumo ‘per capita’ por ano.

Sobre a Academia do Centro de Frutologia Compal, que lançou hoje a sua 4.ª edição, realçou que as bolsas de instalação de 20 mil euros que são atribuídas, em cada edição, a três empreendedores são “a parte mais visível em termos de recursos” de uma gestão estratégica mais alargada que tem em vista apoiar o desenvolvimento do setor frutícola.

 

Lusa

.