Weslen venceu a depressão a correr

Chegou a Portugal no dia 25 de abril e logo para Almeirim. O técnico de enfermagem que trabalhava na área de transplante de córnea é um exemplo de superação e é como uma águia com asas para voar.

Há algumas semelhanças com Almeirim?

São duas realidade distintas! Recife é a capital do meu Estado! Atualmente com cerca de 1milhão e 700 mil pessoas! Almeirim é uma pacata cidade!

Quando chegou, como foi acolhido?

Tive uma certa dificuldade em me adaptar aos costumes, mas aos poucos fui conseguindo entender a maneira típica de ser dos ribatejanos!

Em que área foi trabalhar?

Trabalhei no campo, padaria, Lar de idosos e restaurante! Mas nem tudo correu bem? Vim para Portugal com a promessa de trabalhar em Lisboa, na minha área – Enfermagem – mas nada disso se cumpriu, tendo assim que enfrentar a realidade e partir para outros meios de sobrevivência!

Confirma que chegou a ser enganado numa das empresas em que trabalhou?

Sim! Fui enganado com promessas de contrato de trabalho. Onde chegaram a fazer a ameaça de me entregarem ao SEF! Por já ter passado o tempo de visto! Sendo assim, não me pagaram! Trabalhei dois meses sem receber!

Chorou muitas vezes e pensou que tinha cometido um erro ao vir para Portugal?

Não só chorei, como entrei numa depressão! juntamente com este episódio, a saudade de casa apertava – Família – causando um turbilhão de contratempos na minha vida pessoal! Troquei o dia pela noite! Foi assim durante cerca de 2 meses! A minha vida estava a chegar ao fundo do poço! Cada vez mais com sobrepeso! A saúde já dava sinais de alerta! Mas não ouso dizer que foi um erro a minha decisão em vir para Portugal! Deus sabe de tudo, e como cristão acredito que ele me tenha tornado mais forte!

Hoje está integrado?

Sem dúvida! Hoje sou um residente de Almeirim acarinhado por muitos!

Para além desses problemas, o Weslen também passou por uma grande transformação física. Quanto pesava antes de ser um atleta?

Mediante tantas dificuldades aqui vividas, cheguei ao auge da obesidade mórbida! Com apenas 1,66m, pesava 128kg. Tinha necessidade de dar a volta por cima e sair deste cenário de depressão! Resolvi mudar… Em cerca de 1 ano perdi 40kg. Não foi fácil! Mas como eu costumo dizer: “Quanto pior, melhor!” Vale salientar que serei eternamente grato a quem me ajudou nesta perda de peso! Muito obrigado!!! Posteriormente a isso, descobri o Trail Running através de um amigo e apaixonei-me, mas não me considero um atleta! Sou apenas um desafiador de mim próprio!

E hoje quanto pesa?

Hoje tenho 95 kg. Já ganhei alguns quilinhos novamente, mas boa parte disto se transformou em massa magra. Mas na altura cheguei a ficar com 86 kg!

O que o fez pensar e decidir deixar de ter uma vida sedentária?

Em primeiro lugar, a depressão! Depois, eu sempre fui uma pessoa ativa, sempre gostei de desporto: pratiquei vólei, fui goleiro (guarda-redes) de futsal, joguei bola na praia, e por vezes arrisquei algumas corridinhas. Mas a vida profissional fez-me desfocar! Sempre fui gordo! Desde criança!

Hoje é um atleta de trail?

Um desafiador de mim próprio! Gosto de ir sempre em busca de novos desafios!

Qual a maior distância que já vez?

100 km foi a maior distância! Mas não quero parar por aí!

Qual o objetivo para 2020?

Para já, perder os quilinhos a mais que ganhei! E preparar-me para mais um desafio! Que devo decidir em breve!

Que sacrifícios faz na corrida?

Gosto de me magoar! Este é meu lema! Gosto de sentir aquelas dores musculares! Porque aí sei que fui até doer

O ano passado o Weslen foi pela primeira vez, desde que veio, ao Brasil. Foi uma visita surpresa à sua mãe. Quer contar?

Após 2 anos e 8 meses, regressei ao Brasil! De surpresa! A minha mãe não esperava a minha ida! Pedi para ir ao aeroporto buscar uma mala enviada por um “amigo” e deparou-se comigo! Ela ficou estática com a minha presença e mudança! Foi um momento indescritível! As pessoas que me viram em criança não me reconheceram, com tamanha transformação! Lá também fui realizar a minha primeira maratona que se tornou ultra! Pura ironia! Não podia ter sido melhor! Tornar- -me maratonista e ultra na minha terra natal!

Como acompanha aqui a atualidade do seu país?

Através de notícias dos jornais brasileiros!

Veio antes de Bolsonaro chegar à liderança do Brasil. É apoiante de Bolsonaro?

Porquê? Sim! Quando cheguei aqui, o Brasil estava vivendo uma crise descomunal: A “caça” ao Lula! O impeachment da Dilma! O Brasil estava numa guerra interna! Sem segurança! Motivo este que fez antecipar a minha vinda para Portugal!

.