Não há soluções, há caminhos: 12 setembro

É preciso reagir contra o descontentamento. Deprimir e baixar os braços não adianta. “Mas que podemos fazer quando o desemprego, sobretudo dos mais jovens, é cada vez maior, quando sobe o preço do pão, da água, daquilo que é de primeira necessidade, contra todas as promessas?”, perguntam as pessoas. O que as pessoas sentem e vêem é que os ricos e os funcionários do partido dominante estão mais ricos e os pobres mais pobres. É preciso denunciar! E depois ver que há muita gente nova e bem formada desiludida dos políticos, mas que acredita no serviço e na promoção dos mais necessitados. Isto é que é política!
Vasco P. Magalhães, sj
ONDE HÁ CRISE, HÁ ESPERANÇA
Um pensamento para cada dia: ver em tudo o que acontece uma oportunidade de crescimento.

.