Paço e Vila de Almeirim – Reconstituição

Em Almeirim não existe património edi- ficado que testemunhe a grandiosidade e importância de outrora, daí o exercício da sua reconstituição virtual (com ób- vios riscos e incertezas), recorrendo a analogias com edifícios construídos nas mesmas épocas e que subsistiram até hoje, tais como – Paço Ducal de Guima- rães / Paço do Castelo de Leiria / Paço Real de Évora – Galeria das Damas / Pa- lácio Nacional de Sintra / Igrejas de S. Vicente de Fora e de S.Roque (Lisboa).

O Paço Real fundado por D. João I (1411/1424) e a Vila, foram muito frequentados ao longo da dinastia de Avis, periodo áureo das descobertas, destacando-se as intervenções realizadas nos reinados de D. Manuel e D. João III, que o reconstruiu com nova cape- la Real na sequência do sismo de 1531. Nas Cortes de Almeirim (1580) o trono português veio a ser ocupado pelos Filipes de Espanha que também realizaram obras significativas nestes Paços Reais (1602) com a traça maneirista da época. A partir do século XVIII o Paço Real foi votado a um progressivo abandono da Cor- te e degradação, devida à vulnerabilida de dos materiais e falta de manutenção. Compete-nos hoje reconstruir e dignificar as origens e a história de Almeirim. Em breve poderá ver o vídeo realizado pelo arquiteto Elias Rodrigues e com Grafismo 3D de Carlos Monteiro.

Pelo Arquiteto Elias Rodrigues

.