Não há soluções, há caminhos: 16 de junho

O perdão é criativo e inovador. É o filão do Novo Testamento, a forma sublime de amar o inimigo. Perdoar é re-criar! A garantia do futuro da criação. O filho mais velho da parábola representa um Antigo Testamento que não avança, que desliga a justiça do perdão, que é fiel, mas não por amor. Precisa que lhe mostrem a outra face. Não parece sensível às dores do pecador. Fechado em si, não entende o pecado do mais novo nem o perdoa.
Vasco P. Magalhães, sj
ONDE HÁ CRISE, HÁ ESPERANÇA
Um pensamento para cada dia: ver em tudo o que acontece uma oportunidade de crescimento.

.