Não há soluções, há caminhos: 13 de junho

Se entramos na guerra do esquecer, não esquecemos mesmo! Aliás, a melhor maneira de recordar uma coisa é tentar esquecê-la, que é estar sempre a pensar nela. Não queremos dar importância, queremos relativizar (o que é uma atitude positiva), não queremos ficar obcecados nem ressentidos, óptimo! Mas isso requer um grande trabalho interior, deitar fora ressentimentos, ver as coisas com outros olhos e fazer a leitura das circunstâncias. Agora, esquecer como se isso fosse a perfeição? Não é por aí, a perfeição no perdão é exactamente aquela que não esquece e até reconhece, e sente, a ofensa, a sua e a dos outros, mas vai para além disso.
Vasco P. Magalhães, sj
ONDE HÁ CRISE, HÁ ESPERANÇA
Um pensamento para cada dia: ver em tudo o que acontece uma oportunidade de crescimento.

.