Face ou Coroa

Numa altura em que tentam impingir à sociedade, que quase todas as “anomalias” da mesma, são normais, aceitáveis e até para alguns, desejável. Assistir a pessoas, do panorama nacional, a organizarem e participarem em greves, manifestações, de quase tudo e em alguns casos, na sede de serem protagonistas, cairem facilmente na contradição das suas ideias, afirmações, e até mesmo no modus operandis.

Exemplo, fácil de identificar, foi as comemorações do dia da mulher deste ano. Assistimos nos últimos anos, a esquerda , a querer impingir que seja retirada as indicações de masculino e feminino, querendo passar ao uso de género. Depois observamos, os mesmos a “rasgarem” as vestes para defenderem os direitos das mulheres. É deveras extraordinário a capacidade de transformação e “ajuste” de opinião que têm, pois “abdicam” dos seus ideais, da cartilha que tudo tem de ser aceitável, para momentaneamente, se juntarem a uma luta, manifestação e/ou comemoração, do povo que tanto gostam. É esse povo que tanto dizem defender, mas que no fundo enganam e atiram areia para os olhos, para que pensem que a sua doutrina é de democracia, mas logo em seguida são os primeiros a retirar a liberdade de pensar, escrever, opinar e demonstrar. Vêm-se como os únicos democratas, quando no fundo, são tudo menos democratas, pois se não pensarmos como eles, a primeira coisa que chamam é de “fascista”. Apelidar qualquer um como “fascista”, só porque tem ideias diferentes, é no mínimo falta de conhecimento, pois a história já demonstrou, de várias formas, em diferentes períodos que este tipo de atitude é mais um passo para a retirada das liberdades mais primordiais.

João Vinagre
CDS Almeirim

.