Pedro Bento vai fazer 10 000 kms e angariar 10 mil euros para causas sociais. Conheça as razões

No dia 13 de abril, Pedro Bento irá partir sozinho, de bicicleta, desde a terra natal, Almeirim, até Kathmandu, capital do Nepal. Prevê completar a jornada de mais de 10.000 kms em 73 dias e angariar 10.000€ que irá distribuir por causas sociais.

Como surgiu a ideia deste desafio?

A ideia deste desafio surgiu quando ainda estava na cama do hospital em santarém, e foi uma das formas que encontrei para me motivar a recuperar o mais rápido possível das minhas lesões. Mas quando tive mesmo a certeza que queria fazer este desafio foi no dia em que uma médica me disse que nunca mais iria fazer desporto na vida e que andar de bicicleta seria impensável. Desde esse dia que tive a certeza que um dia iria fazer este desafio, mas só agora 2 anos depois do meu acidente penso estarem reunidas as condições necessárias para me aventurar.

No entanto, a ideia de tornar este desafio solidário veio mais tarde. Eu tinha de agradecer toda a dedicação e empenho dos bombeiros de Almeirim no meu salvamento e depois, mais tarde, na ajuda que me foi prestada durante a recuperação. Nunca iria conseguir agradecer tudo o que fizeram por mim apenas com palavras por isso pensei que poderia agradecer desta forma.

Porquê o Nepal?

O Nepal porque em 2016 fiz uma prova de BTT neste país e na altura fiz uma recolha de donativos para as crianças vítimas do terramoto. Vi a realidade do país e a realidade em que viviam as crianças. Fiquei muito sensibilizado com toda a pobreza que vi e com as dificuldades que estas crianças têm apenas para poderem ir à escola. O facto de estar em contacto direto com essa realidade e de ter ajudado essas pessoas fez com que ficasse sempre a vontade de voltar um dia e de poder ajudar novamente quem realmente precisa.

 Que tipo de preparação fisica e logística está inerente a este desafio?

A preparação física para um desafio destes é muito importante e é necessário despender muito tempo para poder treinar em condições. São treinos de bicicleta que variam entre as 3h a 5h diárias fora a parte da preparação física geral. Mas penso que nunca estarei preparado o suficiente para este desafio. Vamos ver como corre. Tenho tido o apoio dos meus amigos durante os treinos

A parte logística é também muito importante. È importante não esquecer nenhum pormenor, mas como nunca fiz nada semelhante tenho tentado pesquisar e informar-me o melhor possível. Tenho tido também o apoio de várias pessoas neste campo de entre as quais destaco: o meu amigo Fernando Veríssimo e o meu amigo José Carlos que têm sido incansáveis na criação do logotipo, página do facebook, instagram…etc

Quanto custa um desafio deste género?

Assim por alto, vou ter uma despesa superior a 8500€.  È necessário muita coisa…Só por curiosidade a alimentação e alojamento vai ter um valor aproximado de 3500€, depois é necessário pagar a viagem de regresso, a viagem entre o irão e a India, os vistos para entrar nos países, um sistema de GPS, seguros, alforges e uma bicicleta especial para estes desafios, etc etc…

Como a suporta?

90% da despesa vai sair do meu bolso, e os restantes 10% de alguns amigos e empresas da região que me costuma apoiar também nas minhas provas do projeto as 10 provas mais duras do mundo. Alguns dos apoios não são monetários mas sim em material ou em divulgação e isso também ajuda a diminuir as despesas.

Quero agradecer desde já à Camara Municipal de Almeirim, 20 Kms de Almeirim,  Ribabike, Restaurante o Forno, Òptica Vanessa, Almeirinense, Bruno Rosa Seguros, Victory Endurance, FredService Oficina Auto, Peçasgaz, Galão Publicidade, Treinar Melhor e Tania Capela depilacão a laser.

 A recolha dos 10 mil euros já começou?

A ideia será iniciar a recolha a partir do dia 13 de abril que é a data da minha partida, no entanto se alguém quiser fazer já um donativo também o pode fazer para o NIB que se encontra na página do facebook. O que importa agora nesta fase é a maior divulgação possível de forma a chegar ao máximo de pessoas possível.

 Quer terminar antes de começar o desafio ou pode terminar quando o Pedro voltar?

Gostaria muito de conseguir alcançar o objetivo a que me proponho apesar de saber a dificuldade que será conseguir reunir 10 mil euros de donativos, mas tenho esperança que as pessoas se sensibilizem e que me ajudem a reunir o dinheiro necessário. 80% do dinheiro será para comprar 10 fatos de proteção contra incêndios para os bombeiros de Almeirim e os restantes 20% serão para proporcionar aos dois irmãos Mingmar e a Tenzing Sherpa, que precisam de pagar a escola, refeições, dormidas e material escolar para o próximo ano, entre maio de 2019 e maio de 2020, e que se encontram abrangidos pelo projecto Dreams of Katmandu de Pedro Queiroz. O custo são 1500€ para as duas crianças

Pedro fazer este desafio, é o maior desafio da sua vida depois do acidente que teve?

Penso que o maior desafio da minha vida foi mesmo recuperar do acidente que tive. Recuperar de 9 vertebras partidas e de 1 omoplata não tem sido fácil. Já passei por duas cirurgias, uma para colocação de ferros e parafusos para estabilização da coluna e outra para os tirar. Após um prognóstico muito reservado que alguns médicos me fizeram a recuperação não tem sido fácil, muitas horas de fisioterapia, muitas dores, muitos médicos…mas agora ao olhar para trás posso dizer que o pior já passou e que o grande desafio depois do acidente será mesmo a viagem de bicicleta até ao Nepal.

.