Não há soluções, há caminhos : 23 janeiro

Quantos domingos vou ter este ano? Domingo, espaço e tempo para cortar a rotina, para me dedicar ao essencial, para ser livre, para me dedicar aos outros. Se sou cristão, irei à missa para cumprir a “obrigação” ou para respirar fundo e receber esperança para ser quem sou? Quantos domingos estragarei? Cheios de comodismo, de violência, de cansaço… Será este ano melhor?
Vasco P. Magalhães, sj
NÃO HÁ SOLUÇÕES, HÁ CAMINHOS

.