Guitarra d’Alma encerra e é “aposta ganha”

Com lotação esgotada, terminou ontem a 5ª edição da Guitarra d’Alma no Cine Teatro de Almeirim.

Ao longo do mês de novembro, a edição deste ano do único festival que celebra a guitarra portuguesa como solista apresentou a novidade de percorrer todos as freguesias do concelho de Almeirim.

Ontem, Custódio Castelo despediu-se, não só dos almeirinenses mas de um auditório diversificado com gente que veio de norte a sul do país, com o concerto da sua Trilogia.
Em palco, Pedro Ladeira (clarinete), Carlos Garcia e Fernando Maia acompanharam o mestre Custódio neste que, para o guitarrista e professor, será também um encerramento de um ciclo. Encerramento de um ciclo e início de um outro que, ao que pudemos apurar, já tem nome: Script.
 O presidente da autarquia, Pedro Ribeiro, era um homem satisfeito com os resultados deste projeto. Como referiu, o festival tem crescido e este ano, a divulgação de um evento da “província” feita pelos orgãos de comunicação social nacional, bem como o seu alargamento a todas as freguesias, são a prova da necessidade deste evento no contexto cultural nacional. O sucesso deste ano aumenta também a responsabilidade na realização da sexta Edição, referiu Pedro Ribeiro, ao Jornal o Almeirinense, salientando que tem por objetivo tornar a Guitarra d’Alma uma referência com impacto nacional, dentro do plano estratégico de promoção turística do concelho.
No final do Concerto, Custódio Castelo procedeu à sessão de autógrafos no átrio onde estava um catering com doçaria tradicional de Almeirim de “Gentes da Nossa terra” e onde também teve lugar um peditório que reverte a favor do João que necessita de tratamentos caros e urgentes.
.