Não há soluções, há caminhos: 3 novembro

Era importante falar mais vezes da morte.

Ela está aí, sempre presente na vida de cada um, e é saudável saber encará-la, já que ninguém lhe foge!

Ela é o avesso da vida. E, saber olhá-la e admiti-la, só nos pode dar força para viver e apreço pela vida.

Evitar que as crianças vejam, toquem, a morte dos seus familiares, em vez de as defender, fragiliza-as, e não as educa na verdade.

Vasco P. Magalhães, sj

.