Da esquerda para a direita : Futebol

O panorama do nosso universo desportivo é dominado, de forma quase hegemónica, pelo futebol. Todos sabemos das paixões que ele desperta, do fanatismo e irracionalidade que se apodera dos seus mais apaixonados seguidores.

O futebol é um desporto belíssimo, e são poucos aqueles que lhe sejam completamente indiferentes.

Mas, aquele que deveria ser o princípio de um caminho de vida exemplar, uma escola de cidadania, fraternidade e de respeito pelos outros, está infelizmente transformado num pântano lodoso de intrigas e todo o tipo de ações extra desportivas. Convenhamos que as práticas do atual mundo do futebol não são o melhor exemplo para qualquer criança ou jovem. Mais grave ainda, (pela dimensão nacional e milhões de adeptos) quando as piores práticas surgem entre os três maiores clubes de Portugal.

De forma pouco democrática, os fanáticos querem vitórias a todo o custo, e as direções dos clubes não olham a meios para lhes satisfazer a voracidade. E, para isso, acham que vale tudo.

Alguns defendem que sem esta irracionalidade e fanatismo o futebol perderia a sua graça. Não penso assim. A verdadeira beleza do futebol, e de qualquer desporto, está unicamente na paixão pura, livre e civilizada. A verdadeira grandeza de um adepto está em reconhecer, quando for caso disso, a superioridade do adversário.
Os políticos deixam-se, amiúde, envolver na teia do futebol. No entanto, cabe ao poder político, de forma equidistante e desapaixonada, criar os meios legais para a credibilização deste desporto.

 

Gustavo Costa – PS Almeirim

.