Capitulo 2 – Destino Córsega Primeira Etapa – Lisboa/Madrid

A viagem de mini à Córsega começara de Lisboa, onde vivemos atualmente. Obviamente, partindo no final de agosto, só poderíamos fazer as viagens durante a noite por causa do calor.

Neste primeiro dia, deitámo-nos às 22h e acordámos as 3h30, já tínhamos quase tudo preparado, por isso, às 3h50 estávamos a partir. Na verdade, também não podíamos levar muito porque o carro tem pouco espaço e não sabíamos se aguentava. Atestámos o depósito e, sem pensarmos muito, tínhamos iniciado a nossa aventura de mini até à Córsega.

Não foi fácil manter os olhos abertos durante toda a noite. Por vezes sentia-me a adormecer e tinha de começar a cantar ou a falar para disfarçar e para que o Júlio também não fechasse os olhos. Já não estamos habituados a sair à noite e, por isso, trocar horários durante 3 dias (supostamente o previsto para a viagem até Nice) não se previa tarefa fácil para nós. Percebemos depois que o pior nem era durante a noite mas sim com o nascer do sol… Cansados, a luz era tão forte que tínhamos de fechar um pouco os olhos para conseguirmos ver, mesmo com óculos de sol, a vontade de os fechar totalmente era cada vez maior.

Falámos e comemos para não adormecermos. Por vezes lá passava um ou outro fã dos clássicos e o entusiasmo voltava. Parámos 2 vezes em estações de serviço, no entanto, tiveram de ser paragens rápidas pois adivinhávamos muito calor em Madrid e as altas temperaturas punham em risco toda a nossa viagem. O caminho é ótimo, para um mini dos antigos isto significa, sem subidas.

Chegámos a Madrid perto do meio dia, nem tínhamos marcado sítio onde dormir pois não sabíamos se íamos chegar e o preço não alteraria assim tanto. Estacionámos o carro num parque público, perto do centro da cidade. Vieram logo espanhóis ver o carro e chamarem-nos de “locos” por querermos ir à Córsega. Sorrimos e explicámos que tínhamos de despachar-nos para almoçar, encontrar um sítio onde dormir, comprar algo para comer no início da noite e dormir bem porque teríamos de acordar às 02h30 para seguirmos viagem até Barcelona, na esperança que o mini aguentasse.

Inês Chambel – Psicóloga

.