Da esquerda para a direita : Europa

A União Europeia foi fundada com base num conjunto de valores comuns aos Estados Membros. Valores de respeito pela dignidade humana, da liberdade, da democracia, da igualdade, de respeito pelos direitos do Homem, na defesa de uma sociedade onde impera a tolerância, a justiça, o pluralismo, a não descriminação, a solidariedade e a igualdade entre todos.

Assim o determina o Tratado da União Europeia. Por toda a Europa ganham forma movimentos ultranacionalistas, xenófobos e de características fascizantes. No entanto, a chegada ao seio da União de países do Leste europeu, tem agudizado este problema. Países esses que parece terem esquecido – tão rapidamente – o que é viver sem verdadeira liberdade.

A intenção do Parlamento Europeu de adotar sanções contra a Hungria, por desrespeito dos princípios democráticos e dos valores europeus, é um sinal do incómodo que os governos populistas, têm causado aos defensores do projeto europeu.

Não se adere a uma estrutura unicamente para obter as vantagens económicas que daí lhe advêm e, ao mesmo tempo, ignorar os princípios fundamentais dessa organização, que são a sua matriz e o laço comum que a todos deve unir. Se os poderes da União Europeia não se mostrarem firmes com tais procedimentos, então sim, a Europa perderá a sua matriz humanista e universal e acelerará o seu fim.

Também é estranha a posição daqueles que, em Portugal, se manifestam contra as sanções à Hungria e ao mesmo tempo dizem defender a Democracia. Ambiguidades que só se explicam pelo facto de não se ter uma visão clara acerca dos valores que se defendem.

Gustavo Costa – PS Almeirim

.