Da esquerda para a direita : PGR

Volta a estar na ordem do dia a nomeação ou recondução da actual Procuradora Geral da República (PGR), Joana Marques Vidal, existindo no ar a ideia de um voltar ao passado, onde esta nomeação seja realizada com base em preferências Partidárias. Realço que o PGR, corresponde ao único magistrado do Ministério Púbico sujeito a designação pelo poder político, cuja nomeação é feita sob proposta do Governo, mas que a meu ver, não pode de forma alguma, depender desse mesmo Governo.

Não podemos ter memória curta e esquecer o estado da justiça aquando do mandato do anterior PGR, Pinto Monteiro, com nomeação claramente política por parte de José Sócrates. Não podemos esquecer os inúmeros casos que foram arquivados sem terem terminado as investigações e punição dos culpados. Relembro que este PGR afirmou publicamente que o processo Freeport, envolvendo José Sócrates, era uma “fraude” ou “foi um processo inventado”. Sobre o caso Face Oculta, referiu que as escutas às conversas entre José Sócrates e Armando Vara foram destruídas porque “não havia crime nenhum”. Este tipo de justiça não pode mais voltar a acontecer.

Devemos ter presente a história, o passado, para sabermos o que queremos ou não queremos para o futuro. Eu pretendo para o meu País um sistema judicial justo, que não se dobre a lóbis, a interesses pessoais, partidários, ou da alta finança. Considero por isso que se deve reconduzir esta PGR pois já nos deu provas bastantes da sua competência e isenção, e sob a sua tutela vimos um reacreditar da população na nossa justiça. Não nos acomodemos, pois este é um tema que a população deve debater, opinar e claramente manifestar a sua posição.

Nuno Fazenda – PSD Almeirim

.