A Escola Profissional Vale do Tejo é Escola Internacional

Há já alguns anos que a Escola Profissional do Vale do Tejo (EPVT) realiza projetos no âmbito programa Erasmus +, quer na Ação-Chave 1 – que contempla mobilidade, para formação, de estudantes e de profissionais ligados ao ensino e formação profissional; quer na Ação-Chave 2 – que visa a parceria entre escolas e a partilha de conhecimento. Estes programas vieram substituir os que anteriormente se designavam Leonardo Da Vinci e Comenius, nos quais a escola também teve projetos.

A EPVT terminou, em junho, um projeto de dois anos na Ação-Chave 1 (KA1), que permitiu que 24 alunos realizassem os seus estágios curriculares em países como a Dinamarca, Itália e Espanha. Houve também lugar a mobilidade de docentes, para formação, na Dinamarca.

A estratégia de internacionalização da EPVT prevê a realização de formação no estrangeiro, assim como alargamento de parcerias com escolas europeias e a valorização dos seus alunos e colaboradores através da vivência de experiências multiculturais, de respeito pelo diferença e trabalho em equipa. Esta valorização acontece com quem sai do país ao abrigo do programa Erasmus, mas também com quem fica, mas que beneficia do ambiente internacional criado na EPVT. Neste contexto, a escola realizou nova candidatura ao programa Erasmus +, que foi já aprovada e que coloca a EPVT em condições de, nos próximos dois anos, realizar mobilidades para fins de aprendizagem, de 20 alunos e nove colaboradores docentes e não docentes.

As primeiras mobilidades deste projeto acontecerão já em janeiro de 2019, em que ao abrigo do programa Erasmus + PRO KA1, quatro alunos recém graduados irão realizar estágios de seis meses no estrangeiro, sendo que dois irão para Malta e dois para a Dinamarca. As restantes mobilidades de alunos têm como destino Itália e Dinamarca, onde os estudantes realizarão os seus estágios curriculares por dois meses. Este projeto aposta também na formação e internacionalização dos recursos humanos da escola, que terão oportunidade de fazer formação em Job Shadowing, em entidades parceiras.

A par dos projetos em KA1, a EPVT teve a decorrer, nos últimos dois anos, um projeto em KA2 (Ação-Chave2), que contempla parcerias estratégicas de apoio ao intercâmbio de boas práticas, com o objetivo principal de permitir que as organizações desenvolvam e reforcem as suas redes de contactos e a sua capacidade de operar a nível transnacional, assim como a partilha e o confronto de ideias, práticas e métodos. O projeto tem o nome “Learning to Undertake” e termina no final do mês. Durante estes 24 meses, alunos portugueses, dinamarqueses, espanhóis, franceses e romenos trabalharam em conjunto para criar uma empresa virtual, na área do turismo. Desde a ideia ao plano de negócio, passando pela comunicação e marketing, os alunos tiveram oportunidade de experienciar a criação da empresa. Neste âmbito, e porque cada escola parceira acolhe um encontro do projeto, a EPVT recebeu os alunos das escolas parceiras, no final de janeiro deste ano. Aí se viveu, verdadeiramente, a dimensão internacional na EPVT, falando-se inglês pelos corredores, com os alunos estrangeiros a serem acolhidos pelos estudantes da EPVT e suas famílias, num verdadeiro e admirável ambiente multicultural. O envolvimento das famílias neste processo foi preponderante e contribuiu largamente para o sucesso do mesmo. Uma vez mais, Portugal distinguiu-se pelo bom acolhimento, pelo qual é já famoso.

Na senda da internacionalização, a EPVT, enquanto escola parceira do Kold College (Dinamarca), acolheu, na passada semana, quatro alunos dinamarqueses que vieram realizar o seu estágio em Portugal, em empresas parceiras EPVT. Os alunos realizaram visitas guiadas por Santarém, promovidas pelos estudantes do curso Técnico/a de Turismo. O alojamento na cidade e o acolhimento dos alunos dinamarqueses nas empresas foi facilitado pelos professores da EPVT, que ajudaram no primeiro contacto e integração. Uma vez mais, a esta escola portuguesa foi reconhecida pela sua hospitalidade.

A Escola Profissional do Vale do Tejo acredita que a globalização traz desafios, mas sobretudo oportunidades e tem feito um caminho seguro na sua internacionalização e no posicionamento junto dos parceiros europeus. Assim, viu agora reconhecido o seu percurso com a acreditação com o VET Mobility Charter (Carta de Mobilidade para o Ensino Profissional), que certifica que a EPVT tem qualidade comprovada na organização de mobilidades de Ensino e Formação Profissional e que tem desenvolvido a sua estratégia de internacionalização europeia. A EPVT promove aprendizagens noutros países do Programa Erasmus +, através da inclusão de atividades de mobilidade de alta qualidade nos currículos, bem como desenvolve abordagens internacionais em toda a escola.

Esta acreditação eleva também o nível de exigência, pois levará a escola a olhar continuamente o processo de internacionalização e daí deve resultar numa melhoria da sua capacidade de organizar mobilidades para os alunos e o staff. Ou seja, enquanto recompensa a qualidade do trabalho realizado, o VET Charter Mobility pretende também promover e desenvolver, ainda mais, a qualidade da mobilidade para fins de aprendizagem.

A EPVT trabalha continuamente com o objetivo de promover o desenvolvimento global dos alunos, a par do crescimento sustentado da escola. Pretende ainda ser agente na promoção do tecido empresarial e da região em que se insere.