“Enquanto almeirinense, fico grato pelo trabalho que fez no meu concelho.” – 1 de outubro

A informação da saída do Sargento Pereira de Almeirim para Torres Novas já tinha algumas semanas, mas a confirmação oficial veio só durante os primeiros dias de setembro.

Eu, no início, pensava que não seria bem assim, porque faz-me alguma espécie mudar o que está bem.

Embora soubesse que existiam algumas pessoas que não gostavam do Comandante, claramente que tínhamos muitas mais a apreciarem o seu trabalho. Travou “guerras” difíceis e ganhou quase todas elas.

Assumiu riscos grandes, privou a família de muito tempo por uma causa e, por algumas vezes, chegou ao limite de se expor a perigos sérios.

Para trás fica um legado que os almeirinenses não esquecem, de segurança e rigor, e um concelho que, embora tendo alguns problemas, as pessoas sentem-se genericamente seguras. Enquanto almeirinense, fico grato pelo trabalho que fez no meu concelho. Tive a possibilidade de lhe dizer isso pessoalmente no último dia.

Agora digo-o publicamente porque o ser humano tem muita capacidade para esquecer o que de bom os Homens fazem.

Deixa um concelho com uma polícia conhecedora dos problemas e militares que vão dar seguimento à filosofia incutida nos últimos cinco anos.

Boa Sorte, Sargento Pereira, em Torres Novas e, claro, também para quem fica, Sargento Lopes.

Valter Madureira

.