Vinhos do Tejo promove(m) ‘Programas de Vindimas de 2018’

O Verão já vai longo e, na região vitivinícola dos Vinhos do Tejo, o ciclo da vinha está já a terminar a chamada fase do “pintor”, isto é, os bagos de uva ganham ora uma cor escura (nas tintas), ora um tom translúcido (nas brancas). É por isso tempo de começar a planear a oferta enoturística no que toca à fase seguinte, de maturação da uva e consequente vindima. A Comissão Vitivinícola Regional do Tejo reuniu informação junto dos produtores, a fim de promover uma iniciativa da região: ‘Vinhos do Tejo – Programas de Vindimas 2018’ : visitas guiadas, trabalhos na vinha, pisa a pé e provas de vinho!

CASAL BRANCO

Na Quinta do Casal Branco, uma das centenárias propriedades agrícolas de cariz familiar em Almeirim, o programa de vindimas realiza-se a 24 de Agosto e baseia-se na casta Fernão Pires. Dela se diz ser das mais antigas de Portugal e a baga branca mais cultivada no Tejo. Dá origem a vinhos frutados, aromáticos e frescos, mas também colheitas tardias e néctares velhos. O programa ‘Fernão Pires do Casal Branco – Vindimas 2018’ destina-se a um mínimo de 30 pessoas (e um máximo de 50). A reserva, que pode ser feita por participantes individuais, grupos ou empresas, deve ser feita até 20 de Agosto. A inscrição é válida após o pagamento de 50% do valor do programa, até cinco dias antes do evento. A realização da vindima depende das condições meteorológicas, razão pela qual o seu cancelamento será feito sem prejuízo dos adquirentes.

FALUA

Situada em Almeirim, a Falua – Sociedade de Vinhos foi fundada em 2004 pelo produtor e enólogo João Portugal Ramos. Há cerca de um ano, pertence ao grupo francês Roullier. Tem como objectivo produzir vinhos de grande qualidade, maioritariamente da região Tejo. Possui uma exemplar adega e linha de enchimento, construída com os equipamentos mais sofisticados e modernos, que permitem à Falua produzir 6 milhões de garrafas de vinho branco, rosé e tinto. Durante a época das vindimas, abre as suas portas para visita e prova de vinhos, numa actividade que se destina apenas a adultos, em grupos de 10 pessoas, no mínimo.

FIUZA

Pertença da família Mascarenhas Fiuza e situada em Almeirim, a Fiuza dedica-se à produção de vinho há quase um século. Vinhos que corporizam a essência da tradição, mas que agradam o consumidor moderno, caracterizando-se pela qualidade, por serem complexos e gastronómicos. A Fiuza abre as portas da sua Adega-Galeria, uma verdadeira montra de arte urbana executada por três grafitters portugueses (Francisco Camilo, Ivo Smile e Slap), para uma visita guiada complementada com uma prova de vinhos ou de mosto a fermentar. O programa, de aproximadamente duas horas, não tem horário definido e decorre nos dias em que haja vindima. Destina-se a duas pessoas, no mínimo.

QUINTA DA ALORNA

Na Quinta da Alorna poderá reviver a história de Portugal desde 1723, ano em que foi fundada. São muitos os personagens e as histórias que podem ser contadas nesta que é uma propriedade com quase 300 anos de vida. Localizada em Almeirim, na margem esquerda do rio Tejo, oferece programas à medida de quem a quiser visitar. Em tempo de vindimas ou durante todo o ano, os amantes do vinho, da natureza e da cultura ribatejana têm muito por onde explorar.

.