Desaparecido em Palmela há dois anos, encontrado hoje em Almeirim

Na manhã desta quarta-feira, dia 8 de agosto, foi encontrado um cão, no parque de estacionamento do Pingo Doce de Almeirim. O animal apresentava-se cansado e muito doente. A pessoa que o encontrou, solicitou ajuda e conseguiu levar o animal a uma clínica veterinária, onde graças ao microchip conseguiram entrar em contacto com a tutora que o veio buscar.

O cão desapareceu do quintal de casa, na zona de Palmela há dois anos e meio, de onde terá sido roubado e graças ao microchip regressou a casa. O reencontro deu-se por volta da hora de almoço e apesar de muito cansado o animal respondeu pelo nome (Romeu) e assim que viu a sua tutora abanava muito a cauda.

Este reencontro foi possivel devido à aplicação do microchip e do registo efetuado pela dona do animal.

O que é o MicroChip ?

O MicroChip é um dispositivo electrónico, do tamanho de um bago de arroz, descodificado com um aparelho apropriado que permite ler o código e a referência (15 números) correspondente aos dados do seu animal na base de dados.

O objectivo do Microchip é garantir o fácil acesso aos dados do animal e do seu proprietário às entidades competentes.

  • O MicroChip é obrigatório para todos os cães nascidos depois de Julho de 2008.
  • O MicroChip pode ser igualmente aplicado em gatos mas, pelo menos até agora, sem haver obrigatoriedade na vacinação anti-rábica. É uma opção do dono.
  • Quando o cão vem à clínica para a vacina da raiva, antes de esta ser administrada, é-lhe colocado o chip, sempre na zona do pescoço, do lado esquerdo.
  • É proibido a qualquer veterinário vacinar um cão contra a raiva, pela primeira vez, sem aplicar o chip, se o fizer, corre risco de perder a sua cédula profissional.
  • Antes de sair da clínica, o dono deverá fornecer os seus dados para que possa ser preenchida uma ficha na base de dados Sira.

Processo Colocação do MicroChip:

  1. O MicroChip é sempre colocado no seu Veterinário
  2. Deve colocar a respectiva informação (animal e dono)
  3. Na folha do Sira deverá ser colada uma vinheta com o número de chip sendo também carimbada e assinada pelo médico veterinário.
  4. Esta folha pertence sempre ao dono / proprietário.

Processo de Registo:

  1. Os donos devem fazer o registo do seu cão na Junta de Freguesia da sua residência e renovar a mesma todos os anos.
  2. Na Junta devem apresentar o boletim de vacinas com a vacina da raiva em dia, juntamente com o papel de chip.
  3. Compete ás Juntas de Freguesia fazer o registo do cão na base de dados correspondente, o SICAFE.
  4. No caso de cães potencialmente perigosos, é necessário apresentar também o documento de seguro, registo criminal renovado anualmente e declaração de esterilização do animal (em animais potencialmente perigosos com LOP – registados no Livro de Origens Português – não é obrigatória a esterilização).