Quem é Miguel Pereira?

REVELAÇÕES Estudou e vive em Almeirim, foi militar na Escola Prática de Cavalaria em Santarém, esteve durante quatro anos em Moçambique e Angola, durante o processo de paz. Sempre ligado à área comercial de bebidas e produtos alimentares é agora assitente operacional no Hospital de Santarém.

Quem é o Miguel Pereira?
Um indivíduo que se rege por bons princípios e valores…

Sente-se um homem feliz?
Sinto-me um homem feliz porque, presentemente, tenho os três pilares principais para esta felicidade. São eles: Saúde, Família e Trabalho.

São 50 anos bem vividos?
Sim, são efetivamente 50 anos bem vividos, com alguns altos e baixos, mas felizmente sempre com a capacidade de dar a volta por cima. Confesso que a corrida aparece na minha vida, num momento profissional muito complicado.

Sabe cozinhar?
Não, não sei! Se cozinhar é estrelar uns ovos ou fritar uma carne?! Então sei! Mas dentro da culinária tenho todo o Know How na vertente dos grelhados. Por vezes tenho convites para casa de amigos onde que sou nomeado o “grelhas”. Até a título de brincadeira digo que só sou convidado porque não têm mais ninguém para grelhar.

Ajuda nas tarefas domésticas?
Confesso que já fui mais participativo, mas se for solicitado participo, sendo que, em termos de bricolage, sou um desastre completo, ao ponto de fixar um candeeiro no teto da sala de estar e duas horas depois ele ter caído (risos)

De onde veio o gosto pela corrida?
O gosto pela corrida existe muito depois de iniciar a atividade física (entenda-se), Caminhada. Foram 3 meses a caminhar todos os dias às 5:30 da madrugada, com início em janeiro de 2012, pesava 98 kg (hoje 68 Kg), em abril do mesmo ano comecei por fazer umas corridas, mas muito curtas e lentas, depois fui aumentado gradualmente as corridas, comecei a encontrar-me com companheiros que já corriam e foi daí também que surge mais o bichinho. Nesta altura vivi uma fase um pouco complicada da minha vida profissional, tive necessidade de procurar um “escape” emocional e foi na CORRIDA que o encontrei. Já disse várias vezes a amigos e conhecidos e até a profissionais de saúde que a Corrida é uma Grande Terapia. Eu posso afirmá-lo na primeira pessoa.

Todos os dias corre?
Corro há seis anos, sensivelmente. Há dois anos para cá corro em média seis dias por semana. O maior número de dias que corri seguidos, sem descanso, foram 39. Nunca deixei um companheiro ficar em casa por não ter companhia.

Quantos quilómetros tem nas pernas?
Não tenho um número exato, mas posso arriscar: nestes últimos seis anos, poderei ter cerca de 17000 Km e muitas Madrugadas!!!!!

Qual o maior disparate que fez na corrida?
O maior disparate foi no dia 30/12/17, pelas 9 horas da manhã. Iniciei um treino em jejum, bati todos os meus recordes pessoais até ao tempo da meia maratona e achei que me estava a sentir bem, e parti para a maratona. Resultado: 42,3 Km em 3:44 uma hipoglicémia em estado avançadíssimo… Não me quero lembrar mais das palavras do médico (você podia ter morrido)… Adiante.

Qual o desporto que praticou?
Futebol no UFCA, fui Infantil, Iniciado e Juvenil.

Perdeu-se um Maratonista?
Não! Eu acredito que o nosso destino está traçado, seja para o bem, seja para o mal, será que se perdeu um futebolista? (risos) e a opção de abandonar o futebol foi minha. Cada momento tem o seu timming. Pode-se ter perdido um maratonista, mas ganhou-se um MADRUGA. (risos)

 

À lupa

Nome: António Miguel Mindrico Pereira
Profissão: Assistente Operacional
Filhos: Dois, Tiago e Maria.
Hobies: Corrida