As crianças absorvem, mais do que as palavras, as atitudes dos adultos

No passado dia 19 de maio, a Comunidade de Almeirim foi desafiada a assistir a um Workshop sobre Psicologia Positiva na Educação. Este é um novo paradigma de investigação na Psicologia, onde as emoções e os sentimentos têm um papel crucial na forma como cada indivíduo reage às circunstâncias do meio. O movimento da psicologia positiva, segundo (Nunes, P. 2007), pretende focar a atenção nas forças, em vez de se debruçar sobre as fraquezas, este recanto da psicologia trata os traços positivos que incorporam o nosso repertório humano.

Na experiência fascinante a que um grupo de profissionais preocupados com o futuro da educação pôde assistir, onde o Dr. Alfredo Leite, Psicólogo Educacional e orador da palestra, transmitiu de uma forma clara, expressiva e muito direta, que na vida de cada ser humano devem estar presentes dois PP – Propósito e Prazer, que, segundo o mesmo, ajudam-nos a pensar o que é a felicidade. Ficou viva a vontade, o desejo de renovar estratégias e rotinas.

Enquanto profissional de educação e preocupada com o mundo que nos rodeia, refleti sobre estas sábias palavras, senti que estas duas pequenas letras, mas tão grandes emocionalmente, são a forma mais simples e positiva de estar e viver a vida, connosco e com os outros. Todos nós devemos trazer connosco um lema de vida, algo que nos faça movimentar, sair da nossa zona de conforto, explorar e trabalhar o que há de positivo no nosso interior. Trago comigo diariamente uma máxima: SAIR – sair de mim para os outros, e neste conjunto de letras, neste acróstico, tenho comigo o que isso significa na vida profissional e familiar;
S – servir;
A – acolher;
I – inovar;
R – refletir

Refletir implica parar para conseguir avaliar o que se poderá fazer de melhor, sempre num caminho positivo de solução. Se todo este envolvimento for iniciado na infância, garantidamente que teremos adultos com capacidade de resiliência, com emoções positivas, bem-estar e otimismo.

Não acrescenta em nada na vida de uma pessoa, tenha ela que idade tiver, mas principalmente nas crianças que estão a construir o seu Eu, trabalhar-se o que aconteceu de negativo, interessa sim trabalhar as emoções que suscitaram na criança ao praticar tal ato ou atitude. Esse sentimento será interiorizado com tal riqueza que a fará refletir de forma positiva soluções e comportamentos para que tal situação não se volte a repetir. Um comportamento negativo ou atitude menos positiva por parte do adulto, gerará na criança a mesma atitude. O adulto é o exemplo e a criança absorve, mais do que as palavras, as atitudes praticadas. Pretende-se com a psicologia positiva autoconstruir o nosso Eu com o propósito e o prazer de ajudar a construir o Eu do outro, alicerçando nas competências e celebrando nas conquistas a felicidade.

Trabalhar em conjunto, em equipa com diferentes parceiros, família, comunidade, escola, reunindo esforços numa base de relação sólida e de emoções positivas é o instrumento único para o sucesso de quem cuidamos.

 

Joana Fernandes Homem – Diretora Colégio Conde de Sobral