Animais como nós?

Notícias de maus-tratos, histórias de amor e sobrevivência, inúmeros vídeos de gatinhos e a luta por melhores leis de protecção. Todos os dias se fala sobre eles.

Alguns questionam se tentamos humaniza-los, outros afirmam que se defendem os animais em detrimento das pessoas. Eu acredito que a grande maioria defende a sua protecção. Porque é disso que se trata, proteger. Proteger os mais frágeis e os que não têm voz, pessoas ou animais.

Aplaudo de pé as alterações às leis, mas não é suficiente. Não é suficiente quando os crimes continuam a ser cometidos sem qualquer punição.
Não é suficiente quando as autoridades não se esforçam por fazer cumprir a lei e quando as próprias autarquias não a cumprem.

Cabe-nos a nós, a todos nós, contrariar esta situação. Os crimes de maus-tratos devem ser denunciados. As autoridades e autarquias devem ser pressionadas por fazer cumprir a lei e educar. Até porque não bastam leis e a educação é um ponto fulcral neste tema. Existem, por exemplo, diversos projectos junto de escolas para sensibilizar os mais pequenos para o respeito pelos animais e pela Natureza.

Porque afinal de contas os animais não estão cá para nós, mas connosco.

 

Ana Pereira – Administrativa

.