Bruno Fuzeiro: Entrevista ao coordenador técnico da formação e o treinador da equipa sénior masculina

Bruno Fuzeiro é o novo coordenador técnico da formação e o treinador da equipa sénior masculina do Futalmeirim. Em entrevista a O Almeirinense fala do novo desafio e traça objetivos.

O que o cativou no projeto do Futalmeirim?
O Almeirim Futsal Clube é um clube relativamente novo mas tem dados passos seguros no crescimento, fazendo ano após ano aposta na formação. A  sua localização, ou seja, na cidade de Almeirim, também pesou na minha decisão, pois considero que Almeirim é uma cidade com grande potencial desportivo e associativo.

Quais os objetivos?
O grande objetivo é colocar o Futalmeirm no mapa do futsal nacional, nesse sentido, o clube continua a apostar na formação. Direi que para conseguir atingir um “grande” objetivo é importante formar com qualidade. Queremos ser uma referência no futsal mais jovem e para isso temos que ter equipas técnicas de qualidade, assim o clube também aposta na formação dos seus técnicos e eu também farei parte nesse processo, através do nosso projeto interno de formação de treinadores.

A nível competitivo na formação, os resultados não serão uma prioridade, mas claro que queremos formar a ganhar. Na equipa sénior, o objetivo é levar o clube para os campeonatos nacionais e mantê-lo lá durante muito anos. No ano zero (2018/2019) queremos criar uma equipa competitiva e que seja um exemplo para todos os atletas do clube.

É um projeto que se prolonga no tempo?
O convite foi-me endereçado com a intenção de se prolongar no tempo.

Não é só uma temporada?
Não, esta será a temporada “zero”, onde vamos preparar a estrutura para os desafios que queremos superar. Depois, nos próximos anos, queremo-nos afirmar no Distrito e mais tarde no país.

Depois de ter estado ligado ao Benfica, este projeto é um passo atrás na sua carreira?
Não, de todo. A minha ligação ao Benfica foi muito importante, aprendi muito, passei por muitas experiências que me enriqueceram enquanto treinador e pessoa. Se quiser, posso dizer que é um passo ao lado, é a oportunidade de pôr em prática tudo o que aprendi no Benfica e ao longo da minha formação enquanto treinador de futsal.

Na formação, o que vai introduzir?
Principalmente foco no atleta e na sua formação enquanto jogador e Homem, organização e métodos de trabalho. Formar treinadores para estes poderem formar os atletas. Pretendemos seguir o plano de formação dos atletas, projetado pela FPF.

O Futalmeirim pode, a médio prazo, ser uma potência na região?
Sim, sem dúvida! É esse o nosso objetivo.

O futebol é concorrente?
Sim, Portugal continua a ser um país de futebol, pelo que os pais continuam a preferir colocar os seus filhos no futebol, mesmo obrigando-os a apanhar chuva e frio no inverno, como acontece tantas vezes. Se colocassem os olhos no Brasil, por exemplo, onde todos os miúdos passam pelo futsal e só mais tarde decidem se seguem no futsal ou vão para o futebol, há exemplos de grandes craques de futebol que começaram no futsal, o Neymar é um dos casos mais mediáticos mas há muitos mais: Messi, Ronaldinho Gaúcho, Robinho, Júlio César. Talvez o paradigma em Portugal mudasse.

.