Haja saúde!

Revisitando uma vez mais a convenção sobre os direitos da criança – ratificada por Portugal em 1990, podemos ler no seu artigo 24 o contexto ideal relativo à saúde e cuidados médicos das crianças. O resumo desse artigo diz-nos o seguinte: “A criança tem direito a gozar do melhor estado de saúde possível e a beneficiar de serviços médicos. Os estados devem dar especial atenção aos cuidados de saúde primários e às medidas de prevenção, à educação em termos de saúde pública e à diminuição da mortalidade infantil. Neste sentido, os Estados encorajam a cooperação internacional e esforçam-se por assegurar que nenhuma criança seja privada do direito de acesso a serviços de saúde eficazes.” A saúde é o estado global, físico e psicológico, de que desfrutamos num dado momento e nos permite ter as melhores condições possíveis para viver de forma plena. O ser humano procura instintivamente, na maioria das vezes, afastar-se de qualquer cenário possível de malefícios letais, no entanto, muitos são, ainda, os hábitos diários existentes na sociedade, que contrariam as indicações dos organismos de saúde locais, regionais, nacionais e internacionais. Para além da estrutura pública de apoio à saúde dos cidadãos, que permite o acesso gratuito a todas as crianças até aos 18 anos e que abrange cuidados preventivos (vacinas, por exemplo) e terapêuticos, é importante tomar consciência da importância que tem a família e os demais círculos de convivência sobre a saúde dos mais novos, nomeadamente, na sua proteção e promoção. Para gozar de um bom estado de saúde, a criança e o jovem necessitam de ver asseguradas realidades como alimentação equilibrada e adequada, sono repousante, higiene e limpeza pessoais, salubridade em casa e nas roupas, rotinas favoráveis à faixa etária e promotoras de um bom desempenho escolar, condições para um normal desenvolvimento psicológico e emocional, entre outros fatores que a sensatez nos indica como próprios de uma vida saudável. No sentido de garantir as melhores condições de vida, importa que todos os dias procuremos assegurar a saúde das nossas crianças e jovens, quer prevenindo, quer curando, e que, convidados por este objetivo, nos lembremos de que o nosso comportamento e os nossos ensinamentos desenham mapas que os mais novos seguirão. E nós queremos, certamente, que eles sigam caminhos favoráveis que os conduzam a uma vida boa e saudável! Haja saúde!

Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Almeirim

.