Da esquerda para a direita: Fenómenos

Numa época em que cada vez mais se identifica como de “fenómenos extremos”, as diversas manifestações atmosféricas que temos vivido, fica cada vez mais claro que a falta de prevenção, manutenção, preservação, otimização e melhoria dos nossos recursos é evidente e isso tem consequências desastrosas.

A desertificação do interior do País, o envelhecimento das populações e a diminuição dos agregados familiares, tornam-nos extremamente vulneráveis e à mercê destes acontecimentos.

É clara a necessidade de garantir a conservação dos nossos recursos, como por exemplo, a água, melhorar as formas de retenção, bem como do seu uso, seja por meio de aumentar as represas ou só com limpezas e conservação das mesmas. E temos um exemplo no concelho: a Barragem dos Gagos!

Também não podemos estar sempre a pensar em adquirir novas parcelas, juntando a isso as famigeradas “grandes obras de betão”, esquecendo em obras anteriormente feitas, terminar passeios, tapar buracos e garantir que as sarjetas funcionam, como temos o exemplo das “Escolas Velhas”. Preparar o futuro sem garantir os alicerces do passado e as traves do presente, é querer ter um fruto sem garantir a terra, os nutrientes e água e o sol para a árvore e querer colher o fruto.

Num futuro próximo, alguém terá de pagar os investimentos do presente, mas também terá de se pensar nos fundos futuros. Será que haverá!? Se não houver políticas sociais atrativas no Concelho, este futuro estará hipotecado, pois não haverá população para garantir a sua preservação, conservação e uso.

João Vinagre – CDS Almeirim