“O Gonçalo partiu … apenas os laços físicos da alma foram quebrados, mas jamais o Amor que nos une … Esse sim, é eterno.” – 1 de fevereiro

Ninguém merece morrer aos 17 anos. Depois do choque com a morte de Fábio Castelo, Almeirim voltou a ficar sem reação com a morte de um jovem de 17 anos. A doença de Gonçalo Almeida foi vivida de forma silenciosa, mas assim que se soube da triste notícia a cidade e o concelho ficaram incrédulos.

Numa reportagem de O Mirante, ficou a saber-se que o jovem que tinha a alcunha de Tubarão morreu de uma aplasia medular, a que se seguiram várias complicações de saúde. Esta doença é caracterizada por a medula deixar de produzir os componentes sanguíneos (glóbulos e plaquetas), o que é diferente de leucemia. Entretanto, o jovem, que tinha contraído uma bactéria hospitalar, teve uma convulsão e teve de ser ventilado, mas antes de falecer foi detetada uma hemorragia cerebral, acrescentou o semanário.

Isto veio explicar que, apesar da violência do desfecho, o Gonçalo sofreu muito e repito, ninguém merece. Os pais estão também a passar por algo que ninguém merece. O Gonçalo era filho único e deixou uma marca e a mãe partilhou o que lhe vai na alma e coração: “O Gonçalo partiu … apenas os laços físicos da Alma foram quebrados, mas jamais o Amor que nos une … Esse sim, é eterno”.

Valter Madureira