Da esquerda para a direita: Justiça

Ninguém está acima da lei, esta é a mensagem que Joana Marques Vidal, tem vindo a transmitir aos Portugueses nestes últimos anos, sendo a primeira vez que a justiça demonstra que não é fraca nem mesmo com os fortes. Vivemos num período em que se pensa que tudo, ou que aqueles que possuem um certo estatuto na sociedade, nada lhes sucede, mas verificamos, nos últimos anos que um ex-Primeiro Ministro ou até mesmo um banqueiro poderoso podem sofrer consequências pelos seus atos.

Nestes últimos anos o Ministério Público levou a cabo várias investigações e acusações, a inúmeras figuras de poder politico e da alta finança, produzindo a maior limpeza do sistema político e económico português. A Procuradora Geral da República é a promotora desta transformação de atuação, e nós Contribuintes, os pagadores de todas estas situações escandalosas.
Analisando o trabalho realizado à data, é preocupante assistir às movimentações que têm vindo a ocorrer, que inviabilizam o reconhecimento da Procuradora pelo seu trabalho realizado e que a mesma não seja reconduzida para um segundo mandato.

Afirmando a atual Ministra da Justiça que o mandato da PGR de ser “longo e único”, o que não se verificou com os antigos antecessores da PGR. Em suma, a recusa do Governo na continuação de Joana Marques Vidal no desempenho dos seus serviços, quando há casos de relevância ainda por resolver, condicionará certamente todo o seu trabalho nos próximos 10 meses.

Vanessa Duarte – Inovar Almeirim

.