Pampilho ao alto XLIII

Quando o primeiro exemplar de “O ALMEIRINENSE” do ano de 2018 chegar às bancas, terá passado, felizmente, mais um Natal . O Ano Velho, de malas aviadas, sem deixar saudades terá partido, e chegado o Ano Novo repleto de esperanças e promessas de vida saudável, prosperidade, e sobretudo, de paz e amor entre os Homens.

Mas o período pós Natal é sem dúvida o momento ideal para uma introspecção e reflexão isenta sobre o que fizemos durante o ano que vai partir; o que fizemos de mal e poderíamos ter feito bem; o que dissemos quando deveríamos ficar calados; as promessas que não cumprimos e podíamos ter cumprido; o amor que não demos por egoísmo, ou o perdão que não pedimos por orgulho. Igualmente importante, é a promessa que faremos a nós próprios sobre a mudança para melhor das nossas condutas, e a firme intenção de as cumprir.

Ao Homem, como ser em permanente evolução, cabe essa mutação para melhor. E que melhor seríamos se entre as pessoas houvesse o contacto pessoal em vez do contacto quase exclusivamente virtual. Hoje, nem sequer já telefonamos a desejar as Boas Festas; limitamo-nos à forma impessoal da publicação nas redes sociais. É sabido que nos dias de hoje os meios de comunicação em massa, e as redes sociais, cavam um fosso cada vez maior entre as pessoas levando-as ao isolamento e à desumanização no relacionamento com o próximo.

Chega a causar tristeza ver um grupo de pessoas (especialmente as mais jovens) reunidas em redor de uma mesa com a finalidade de conviverem, e não conversarem entre si, passando o tempo mergulhadas nos écrans dos telemóveis. As novas tecnologias são de uma utilidade impar, mas como tudo, devem ser utilizadas com moderação. A não ser assim , corremos o risco de nos transformarmos em autómatos sem capacidade de raciocínio ou vontade própria.
Vamos dar um murro na mesa, e no menu da reflexão que acima mencionei, incluir igualmente a restrição ao uso do telemóvel quando estivermos em grupo, permitindo apenas a entrada de chamadas telefónicas e, bloqueando qualquer outra forma de comunicação ou mensagem.

Que o Vosso Natal tenha sido Santo e Fraterno; o Ano Novo Vos traga tudo de bom, especialmente muita saúde e vontade para continuar a tentar ser cada vez mais humano.

Fiquem bem; de Pampilho ao Alto.

Ernestino Alves – Advogado

.