O ato de ajudar

Como sabemos, desde os primórdios da civilização “AJUDAR” faz, sempre, parte da raça humana. Ajudar será, o ato de prestar auxílio a quem precisa de modo humano, solidário e pro bono. No mundo conturbado em que vivemos, o egoísmo e os interesses centram as relações. A boa vontade e o desinteresse em não receber nada em troca tornou-se numa tarefa muito difícil.

A vida tornou-se vazia, sim, muito vazia de sentimentos e de valores.  Apesar de vivermos numa sociedade em constante aceleração, sabemos que o ato de AJUDAR é inerente à raça humana. É recompensador e dá sentido à vida.  Não adianta pensar que o mundo pode ser um lugar melhor se ficarmos de braços cruzados e centrados em nós próprios. Contribua para que a sociedade seja melhor. Torne os valores uma realidade.

É sabido que, num momento da nossa vida,todos nós já ajudamos numa ou noutra situação, mesmo que não tenhamos valorizado. Mas, será que essa ajuda não terá sido determinante para a pessoa que recebeu? Vejamos como os nossos Almeirinenses são solicitos em todas as causas sociais. Claro que será difícil enumerar todas, mas falemos, por exemplo, dos bancos alimentares e farmacêutico, de espetáculos a favor de uma ou outra causa social.

Quando uma população se encontra em estado de emergência e necessita de auxílio, em consequência de desastres naturais, como aconteceu recentemente em Portugal, todo o País se mobilizou para ajudar. E, os Almeirinenses, como sempre, mobilizaram-se na entrega de bens às populações vítimas dos grandes incêndios. O voluntariado é uma das formas de ajuda. Lembremo-nos que a maioria dos voluntários têm as suas atividades profissionais, a sua família, a sua própria vida. Mas, também têm motivação e vontade em colocar o seu Know how, a sua habilidades e os eus afetos aos serviço do outro. Almeirim possui diversas instituições de solidariedade social.

Porque não dispensar uma hora por semana, uma simples hora a colaborar com as nossas instituições? Não deixem de participar em diversas ações sociais com pequenos gestos e atitudes. Façam o que é possível.

Madre Teresa de Calcutá disse :
“O que eu faço, é uma gota no meio do oceanos. Mas sem ela, o oceano será menor” “O importante não é o que se dá, mas o amos como se dá”

Refletindo sobre as palavras de Nelson Mandela:
“Devemos usar o tempo sensatamente e entender que o momento é sempre adequado para se fazer o bem”. Deixo-vos, com estas frases. Refletamos e motivamo-nos em ser voluntários em causa própria ou numa instituição.

 

Rosarinho Salavessa- Pres. Rotary Clube de Almeirim

.