CDS reclama apoios aos agricultores e produtores pecuários afetados pelos incêndios e pela seca

Numa audição do Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural sobre o Orçamento de Estado para 2018, o CDS-PP interrogou-se relativamente à existência de agentes no terreno para o auxílio de pequenos agricultores com o preenchimento de formulários e assistir na elaboração de projetos necessários nas situações de prejuízos acima de 1053 euros.

O Ministro não deu uma resposta clara em relação ao apoio.

A questão da necessária segregação de funções de elaboração e análise de candidaturas poderia ser assegurada com a atribuição da elaboração dessas tarefas a técnicos diferentes.

As deputadas do CDS-PP, também sugeriram, no contexto dos produtores pecuários, em relação aos animais cujas pastagens foram afetadas pelos incêndios e pela seca uma extensão da distribuição de rações.

O Ministério da Agricultura já deu inicio à distribuição de alimento para animais domésticos junto das populações e produtores afetados.

Sendo que o país vive em situação de seca severa e extrama, os campos apresentam-se bastante secos e sem pastagens, sendo a pecuária bastante afetada pela situação.

Ouvem-se vozes de produtores pecuários, explicando que a palha e as ração não chegam para a sua atividade, sendo que algumas associações de produtores do sul do país alertaram para a vulnerabilidade de parasitas e bactérias pelos animais devido à escassez de nutrientes, o que teria implicações sérias no setor.

Apesar da situação de seca extrema e severa em portugal continental, assim como dos fogos, a corrente situação aparenta apontar para o sentido de reduções drásticas na produção alimentar e todo o setor agroalimentar, precipitando uma debilidade que poderá ter efeitos nos próximos meses ou anos.