“Não existe uma fórmula secreta para atingir o corpo perfeito”

Pedro Domingos (à direita na fotografia) tem 24 anos e é Licenciado pela Escola Superior de Rio Maior e Mestre em Exercício e Saúde pela Faculdade de Motricidade Humana e tem Formação avançada em Personal Trainer. Pedro Rodrigues conseguiu o terceiro lugar no Portugal Classic. Este bom resultado foi o pretexto para uma conversa.

Pedro Domingos, como surgiu o interesse pelo culturismo?
Iniciei a prática de ginásio com cerca de 16 anos, gostei desde logo desta modalidade e rapidamente se tornou uma paixão. À medida que os resultados apareciam, quer a nível de performance, quer a nível estético, o interesse ia aumentando bem como a necessidade e vontade de saber mais sobre a área. Sempre tive curiosidade de ver como ficaria o meu corpo quando o levasse ao “extremo”, o que implica passar por todo o processo de preparação para a competição, por isso, quando tive oportunidade, decidi encarar o desafio de subir a palco.

Publicidade

Quais as principais dificuldades que foi sentindo ao longo do tempo?
Enquanto praticante deste desporto, já me deparei com diversas dificuldades quer ao nível físico, por todo o desgaste e restrições, mas principalmente ao nível alimentar e pelo facto de ter de conseguir conjugar os treinos (por vezes a carga máxima são 3 vezes por dia) com o trabalho e a vida quotidiana inerentes à fase de preparação. Aliás, a nossa capacidade psicológica é bastante afetada, já que todas as restrições a que nos sujeitamos, a certa altura, influenciam o nosso sistema nervoso, deixando os atletas um pouco mais impacientes do que seria normal. Trata-se de um grande período de tempo no qual vivemos em prol deste objetivo.
Por outro lado, também há grandes obstáculos financeiros pois trata-se de um desporto muito caro não só relativamente aos custos da alimentação, suplementação, treinador, acompanhamento da equipa, mas também com as próprias inscrições e deslocações para as provas, que tornam esta prática cada vez mais difícil de realizar, principalmente quando chegamos a um patamar onde o nível de exigência é de tal forma rigoroso que precisamos de estar numa constante evolução, pois cada detalhe poderá ser decisivo.

Na sua opinião, quais são as principais razões que levam um iniciante na musculação a não ver os resultados que gostaria?
O desportista iniciante na musculação muitas vezes não consegue uma evolução como deseja, na maior parte dos casos, por falta de orientação profissional. Hoje em dia, o elevado volume de informação disponível na internet, principalmente em fontes menos fidedignas, como redes sociais e tantos “gurus” do fitness, fez com que, muitas vezes, se torna-se complicado fazer a seleção da informação e perceber qual o melhor caminho a seguir. A verdade é que, para obter os resultados pretendidos, tem de haver um grande equilíbrio entre a alimentação e o treino do desportista e isso requer ajuda profissional especializada, já que não existindo duas pessoas iguais, a estratégia de outro desportista pode não ser a mais indicada para mim.
E, por fim, e obviamente necessário muita disciplina pessoal para levar a cabo todas essas indicações de forma correta, e paciência pois este desporto é uma maratona e não um sprint, o que por si só requer muito trabalho contínuo e dedicação ao longo do tempo.

Quais são as melhores técnicas de musculação para obter grandes ganhos musculares?
Tal como disse na questão anterior para obter os resultados desejados é necessário um grande equilíbrio entre a alimentação e o treino, uma vez que não existe uma fórmula secreta ou receita para atingir o corpo perfeito. É importante conhecermos o nosso corpo e percebermos de que forma ele responde aos diversos tipos de treino e dietas, moldando-o passo a passo a partir daí. Existem vários tipos de treinos, cada um deles com pontos específicos e raramente existem metodologias erradas, apenas podem não ser as mais acertadas face aos nossos objetivos – mais uma vez, procurar ajuda profissional é uma mais valia.

Em que consiste a sua alimentação diária? Podes dar um exemplo de um dia-tipo?
A minha alimentação varia consoante a fase em que me encontro, mas este é um exemplo de um dia numa fase pré-prova:
-1ª refeição: Claras de ovo e aveia
-2ª refeição: arroz e frango
-3ª refeição: peixe com arroz
-4ª refeição: claras de ovo com arroz
-5ª refeição: batido
-6ª refeição: peixe branco com legumes
-7ª refeição: claras de ovo
O ajuste das doses é extremamente importante consoante os objetivos pretendidos, e, como podem ver, há alturas em que o plano de alimentação é bastante restrito, quer em variedade quer em quantidade.

Considera os suplementos essenciais para quem pratica musculação?
A suplementação ajuda bastante os praticantes da musculação, mas nunca terá a mesma importância que a alimentação, pois como o próprio nome indica, e ao contrário do que muitas pessoas pensam, a suplementação não vem substituir a refeição, vem apenas complementar a alimentação com alguns dos elementos-chave difíceis de obter a partir da dieta. A suplementação tem os seus benefícios, sim, quando tomada de forma orientada.

Ainda há a ideia de que quem pratica este tipo de desporto recorre a substâncias proibidas. Concorda? Ou isso já não é assim?
Ainda existe a ideia de que qualquer corpo que apresente uma forma mais trabalhada só é conseguido recorrendo a esse tipo de substâncias, o que não é verdade. Requer sim, muito trabalho e dedicação! Este desporto, mais do que um desporto é um estilo de vida, e se por um lado um jogador de futebol termina o treino e arruma as chuteiras, nós não conseguimos nem podemos nunca deixar a nossa principal ferramenta de parte, já que o nosso corpo e cada ação do dia-a-dia tem impacto sobre ele.

Que planos tens para o futuro próximo?
Enquanto atleta, vou continuar a trabalhar para conseguir evoluir e alcançar novas metas, pretendo crescer mais a nível internacional, participando em mais competições no estrangeiro, à semelhança do que aconteceu este ano na competição Arnold Classic Europe na qual tive o privilégio de participar. Ao nível profissional, gostaria também de continuar a evoluir, obter mais conhecimentos, e, quem sabe, auxiliar outros atletas na preparação para subir a palco.

Como será o seu corpo daqui a 30 anos?
Nunca podemos ter certezas quando se trata de uma data tão distante, mas no que depender de mim, vai continuar a ser trabalhado e a apresentar sempre um aspeto saudável, mantendo a minha qualidade de vida.
Existe muito o preconceito de que um culturista, depois de parar a sua prática, fica flácido e com o corpo deformado, mas isso acontece com qualquer desportista que cesse a sua atividade ou qualquer pessoa que possua um estilo de vida sedentário. Temos ainda hoje grandes nomes do culturismo que, aos seus 70 anos, têm corpos de fazer inveja a muitos jovens de 20 anos. Temos o exemplo de um atleta nacional, Rui Ferreira, que há pouco tempo se sagrou campeão mundial de Master (mais de 40 anos) e que é um grande exemplo a seguir.

O que significa para si o pódio no Portugal Classic, uma das mais conceituadas provas de cultura física em Portugal?
O Portugal Classic foi a prova onde me estreei, a primeira vez que pisei o palco há 1 ano atrás, prova essa na qual, como iniciante nesse desporto, consegui um ótimo segundo lugar, o que me deixa bastante orgulhoso. Ver o trabalho de tanto tempo a ser recompensado é um sentimento sem explicação, ter o privilégio de partilhar o palco com excelentes atletas, atletas que eu via, cobiçava e utilizava como fonte de motivação. Este ano tive novamente o prazer de participar nesta prova e mais uma vez conquistar um lugar no pódio, não o mais desejado, mas continuarei a trabalhar para lá chegar.

 

.