O Professor que no verão também vindima

Sérgio Russo é filho de agricultores e apesar de ser licenciado e professor, não renega as origens. No verão suja-se com pó e também faz trabalhos esforçados no campo. Vai vindimar e apesar de não ser um grande apreciador de vinho garante que este ano a produção vai ser de qualidade e quantidade.

Sérgio, como está a correr a vindima este ano? O vinho será de boa qualidade?
A vindima este ano correu como planeado. O tempo ajudou (não choveu). Relativamente ao vinho, este ano será de muito boa qualidade e quantidade. Na última semana apanhei uma casta denominada Fernão Pires, com 15 graus.

É um grande apreciador?
Reconheço que não sou grande apreciador de vinho, bebo muito pouco, mas gosto de sentir o gosto/aroma de um bom vinho. A minha região produz vinhos de excelente qualidade, pelo qual já ganhou alguns prémios.

Ainda é novo, mas a agricultura e as vindimas mudaram muito? Que recordações tem desse período até aos dias de hoje?
Sou filho de agricultores, e estive sempre ligado a esta área. As minhas recordações remontam aos dez anos, em que passava grande parte do verão no campo, à exceção de uma semana onde ia com os meus avós à praia. Com o passar dos anos, tentava sempre tirar alguns dias de férias com os amigos mas que não coincidissem com a época da vindima. O trabalho de campo, fui aprendendo com os meus pais, observando-os e experimentando. Consigo fazer todo o tipo de trabalho. Hoje em dia, o trabalho está muito mais facilitado com a introdução de novas tecnologias agrícolas, tratores modernos, alfaias para todo o tipo de trabalho… antigamente era tudo feito com a força de braços…

 

 

O Sérgio é professor. Não se imagina a mudar de vida para se dedicar à agricultura?
Atualmente não me imagino a dedicar-me a 100% à agricultura, mas também não me vejo a abandoná-la completamente. Com a ajuda dos meus pais, vou tentar modernizar as vinhas para facilitar o trabalho futuro. Neste sector agrícola existem ajudas comunitárias mas que levam muito tempo para chegar efetivamente ao produtor. Cada vez se vê mais jovens a optar por esta área, mas é uma área de muito trabalho, sujeita a muitas contingências ambientais e nem sempre com rentabilidade…
Sou professor e tento conciliar as duas áreas. A minha área profissional rouba-me imenso tempo para fazer outra coisa, mas sempre que consigo arranjar tempo lá vou eu para o campo, mais aos fins de semana. As épocas de mais trabalho no campo são as vindimas e a poda. Atualmente, as vindimas já estão mais atualizadas, já há máquinas que aceleram todo este processo que antigamente era feito exclusivamente manualmente.

Leva as suas filhas a ver as vindimas?
As minhas filhas acompanham-me pouco na altura da vindima, saio de casa antes do sol nascer, às 6h e regresso à tarde. De vez em quando levo-as a ver o processo inicial do vinho, o que fazem com as uvas até ao mosto. Elas adoram e sentem-se fascinadas com a transformação das uvas em vinho…