Um ano tripartido

Chega-se à altura das grandes mudanças, dos novos rumos e planos, de programar quais os próximos passos para que, como é esperado, possamos chegar ao fim e em retrospetiva o resultado seja um sorriso que nos encha a cara pelo sucesso e não a expressão cinzenta da insatisfação. Como tal, numa abordagem ao ano, arrisco uma divisão de três partes.

Começo pelo fim, uma boa forma de agarrar o leitor e de criar a imagem do audaz escritor que não respeita a ordem temporal. A última fase é aquilo a que vulgarmente todos chamam de “férias de verão”. Existe apenas duas obrigatoriedades nesta fase que é ter férias e que sejam no verão. Esta é a fase do descanso, o momento da retrospetiva. Aquele momento em que nos permitimos ao desleixe, porque o conquistamos e lutamos por ele e merecemos esses dias de procrastinação como recompensa pelos mártires incessáveis e obstinados que fomos.

A primeira fase ocorre logo após, a “fase da preparação”, esta mesmo em que nos encontramos. Nesta altura são muitos os “inícios” ao nosso redor: “o início das aulas”; “o início da época de futebol; “a rentrée politica”; “o novo ano judicial”; “o início das alergias”; “o início de voltar a fazer contas à vida porque gastamos muito mais do que devíamos nas férias e os miúdos precisam de cadernos e canetas, casacos e botas novas porque vai chover e fazer frio e não tarda nada está na altura de fazer as compras de natal”. Todos o grandes planos são feitos nesta fase.

Por último, a segunda e mais duradoura das três. Toda esta fase é, resumidamente, trabalho, sofrimento e monotonia. Dias que ficam mais curtos, frios e molhados até o processo meteorológico reverter e levar-nos até à merecida terceira fase que, por motivação extra, nunca sabemos ao certo de quando será ou se a economia estará em condições favoráveis para que possamos usufruir das desejadas férias.

Basicamente, um modo diferente de compreender o ano, provavelmente uma forma mais organizada e de fácil planeamento ou então uma simples sugestão.

 

Bruno Aniceto – Escritor