Silêncio: A Joana Carmo vai cantar o fado

O seu nome é Joana Carmo e tem apenas 16 anos. Podíamos chamar-lhe papa concursos, tal a quantidade de prémios arrecadados. Primeiro prémio no concurso de talentos do distrito de Santarém do programa do João Baião “Portugal em Festa” da Sic e, só mais um exemplo, o programa do “Há Tarde”, onde Herman José é apresentador. Mais recentemente foi à Festa do Avante e ao Fado Solidário na Mouraria, Lisboa.

Em entrevista a O Almeirinense, Joana Carmo diz que “sempre gostei de música, desde que me lembro de existir que adoro música. O Fado está-me na alma. Lembro-me que quando era pequena ouvi a Marisa na rádio, gostei muito e pedi aos meus pais para me comprarem o CD; então, como andava no Ballet e no Rancho, em casa ouvia o Cd, cantava e dançava ao som dos fados da Mariza. E foi aí que esse gosto pelo fado começou.

A primeira vez que a jovem de Fazendas de Almeirim cantou, nunca mais esqueceu: “lembro-me da primeira vez que cantei em público foi no cineteatro de Almeirim, mais por brincadeira, numa festa da Escola. Depois e mais a sério, foi num concurso de fado em Lisboa, onde obtive o segundo lugar a nível nacional. A reação das pessoas foi muito boa, algumas emocionaram-se. E no final do espetáculo vieram falar comigo, dar-me os parabéns e incentivaram-me, o que deixou muito feliz e com força para continuar”.

Joana está no 12º Ano na área de Ciências Socioeconómicas e quando for grande… “Aiii… estou muito indecisa. Por um lado a música, que é a minha grande paixão, por outro estava a pensar seguir Ciência Política. Mas neste momento não sei, vou ter um ano para pensar”, revela, entre avanços e paragens no discurso, pois “adorava seguir uma carreira artística, mas com os pés bem assentes na terra.

O último grande momento foi a participação na festa do Avante e “correu muito bem. É uma festa com milhares de pessoas, enorme mesmo. Fiquei muito feliz por, no meio de tanta gente, estarem lá pessoas de Almeirim para me ouvir cantar”, afirma sem receios.

Em julho cantou na Tasca do Chico, no Bairro Alto e isso foi “um grande orgulho, uma das melhores e mais conhecidas casas de fados de Lisboa, contratar-me como fadista da noite. Mas do que me orgulho mais é que gostaram e voltaram a contratar-me”.

A grande referência de Joana, neste momento, é Ada de Castro. Para quem não a conhece e ficou interessado, a jovem artista vai fazer a primeira parte do debate no dia 21 setembro, junto à sede do Fazendense.