GNR aperta na fiscalização ao cinto de segurança

A Guarda Nacional Republicana (GNR) vai intensificar até ao dia 17 de setembro, a fiscalização do uso do cinto de segurança e de sistemas de retenção para crianças, direcionando as ações para as vias onde as infracções por falta de uso dos dispositivos de retenção são mais frequentes.

A utilização destes dispositivos reduz a ocorrência e/ou gravidade de lesões sofridas pelos ocupantes de uma viatura em caso de acidente de viação, pelo que a GNR tem dado particular atenção às ações de prevenção e fiscalização desta matéria.

Esta operação, levada a cabo por militares da Unidade Nacional de Trânsito e dos Comandos Territoriais, é realizada de igual modo em todos os países da Europa.

Em 2017, foram registadas até à data cerca de 17 363 infracções, o que corresponde a uma diminuição de cerca de 7% em relação ao período homólogo do ano passado (18 701 infracções).

No distrito de Santarém foram registados em 2016 até ao mês de setembro 942 pessoas sem cinto de segurança, e em 2017 esse numero é de 971 ou seja há um aumento de 29 casos este ano.