A Fornalha: A nova casa de leitões em Almeirim

Vânia Simões é um jovem empreendedora scalabitana que apostou no concelho de Almeirim para fazer crescer o seu negócio. Perante as dificuldades, criou postos de trabalho para a família mais próxima e quer que o leitão faça parte da carta gastronómica de quem visita a cidade de Almeirim. Um espaço a visitar na zona da praça de touros.

Quando é que abriu este espaço e quando é que surgiu a ideia para abrir o mesmo?
O espaço abriu em Almeirim no dia 1 de julho, e a ideia de abrir o espaço em Almeirim foi dar apoio a casa dos leitões em Santarém. Portanto ter as duas para podermos vender ao kilo e poder também vender metade de leitão. Este é um produto muito procurado e no concelho não existe mais nenhum espaço do género.

O negócio inicial é em Santarém? Há quantos anos?
Sim. Lá ainda falta o licenciamento da Câmara, mas esta casa está “aberta” há 10 anos, a minha mãe sempre fez leitão em casa para as nossas festas e várias pessoas foram conhecendo e foram pedindo… foi assim que tudo começou.

Então e porque decidiram abrir em Almeirim? São naturais do concelho?
Há um funcionário que sim, e nós vivemos em Almeirim. Acho que Almeirim tem outra abertura para o negócio em termos de restauração. Almeirim é muito conhecido pela sopa da pedra e nós queríamos também implementar o leitão na gastronomia. Sabendo que há pessoas daqui que vão de propósito à Bairrada para comer o leitão, então o leitão também pode vir até eles.

Pensam que é uma mais valia a abertura do estabelecimento perto dos restaurantes? A escolha foi meramente casual ou foi pensada?
A nossa escolha foi casual, aconteceu porque o espaço estava disponível, mas até deu jeito e calhou bem!

E que tal está a ser o feedback dos almeirinenses para convosco?
A pessoa que veio no primeiro dia continua a vir, ainda não tivemos ninguém que dissesse mal, pelo penos não na nossa cara, em geral as pessoas mostram-se satisfeitas e dizem que é assim que gostam.

O que é que podemos encontrar na Fornalha? É só as sandes de leitão?
Queremo-nos dedicar só ao leitão. Podem encontrar para além do leitão, a imperial alemã… por enquanto… (risos)

O que é que acham que vos diferencia?
O nosso molho… essencialmente o nosso molho. Nós não metemos sal no molho, o nosso molho não é salgado como o da Bairrada e a quantidade também, eles são um pouco limitados em termos de quantidades.

Então podemos fazer encomendas para fora?
Sim, a ideia é essa. Conseguimos fazer o pedido de um dia para o outro. E também no próprio dia se a pessoa as 10h se lembrar que quer um leitão para a hora de almoço e nós fazemos o pedido.

E o leitão é fresco e nacional?
É! O leitão vem de Condeixa, é lá criado, é lá morto e é transportado. Nós funcionamos com uma empresa que trata de tudo, eles tem todos os cuidados de modo a nós mais tarde termos o produto próprio para assar.

Quais são os horários do espaço?
Das 10:30h até as 22h, ao domingo não temos a casa das sandes aberta, mas podem fazer as encomendas em Santarém.

 

Mais info:

Est. do Peso s/n – Ponte d´Asseca
Santarém
Telf: 243 098 414

Rua de Coruche
Almeirim
Telf: 243 155 044

Telemóvel : 914 765 843 | 914 866 284

 

Maria Vieira