Rede de vigilância a incêndios florestais vai ser reforçada

A Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo deu início, no passado dia 4 de julho, à implementação da candidatura “Rede de Vigilância de Apoio à Decisão para os Incêndios Florestais na Lezíria do Tejo”, que consiste na ampliação e modernização da rede de vigilância e aquisição de dados do sistema integrado de videovigilância para a prevenção de incêndios florestais – CICLOPE – com cobertura na área de responsabilidade da CIMLT e zonas limítrofes.

Esta candidatura foi aprovada no âmbito do POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, com uma comparticipação de 85% de Fundo de Coesão. O investimento total será de 205.000,00€, sendo a contribuição do Fundo de Coesão de 174.250,00€.

Atualmente existem na Lezíria do Tejo três câmaras de vigilância para apoio à decisão operacional, que constituem a base do sistema CICLOPE, e encontram-se situadas nas Figueiras (Município de Chamusca), na Alorna (Município de Almeirim) e nos Cruzetinhos (Município de Chamusca). Estas são controladas e transmitem para a sala de operações do CDOS de Santarém, com o objetivo de monitorização 24h por dia.

Com esta candidatura pretende-se complementar o sistema já existente na Lezíria do Tejo, sendo que a primeira torre de videovigilância de apoio à decisão (TVAD) foi instalada no passado dia 4 de julho, em Coruche, e marcou o arranque dos trabalhos.

Este projeto visa a instalação de três torres de videovigilância de apoio à decisão (TVAD) nos municípios do sul da Lezíria do Tejo, nomeadamente em Benavente e Coruche, de forma a suprimir as necessidades operacionais existentes. A implementação do projeto irá aumentar e complementar a taxa de cobertura das TVAD já existentes nos municípios de Almeirim e Chamusca. Deste modo, a ampliação da cobertura do sistema CICLOPE irá permitir que a decisão de mobilização de meios seja mais eficiente, maximizando a rentabilidade de todo o dispositivo.

Para além da quantidade e tipo de meios a deslocar para o teatro de operações, a capacidade de antecipar as decisões, com base em imagens reais, constitui-se também como um fator crucial para o aumento da segurança de todos os meios humanos afetos à ocorrência, uma vez que permitirá visualizar a propagação do incêndio, possibilitando com a devida antecedência reposicionar em segurança todos os elementos envolvidos nas operações de combate.