Da esquerda para a direita: Abril

O mês de Abril pode considerar-se o mês da liberdade, pois a 25 comemoraram-se 43 anos de fim da ditadura no nosso país, mas neste mesmo mês também se assinalou a prevenção de maus-tratos na infância. Parece um pouco contraditório falar-se de liberdade e maus-tratos, mas a nossa realidade tem sido um pouco esta, tanto na relação criança-criança como na relação adulto-criança, em que a liberdade do abusador é sobreposta à liberdade do abusado.

Os maus-tratos podem ser de dois tipos: negligência (física, educativa e emocional) e/ou abuso (físico, emocional e sexual), e são um problema comum a todas as raças, classes económicas ou sociais e religiões. Há fatores associados ao abusador, que facilitam à ocorrência de maus-tratos, pois este pode ter uma baixa auto estima, estar deprimido, ter sido abusado na infância, ter dificuldades económicas graves, problemas familiares e instabilidade emocional com dificuldade em controlar os seus impulsos. O ambiente familiar pode também facilitar a ocorrência de maus tratos, como a existência de conflitos intrafamiliares, dificuldades de comunicação, desenraizamento cultural, más condições de habitação com ausência total de privacidade, etc.

Algumas características das crianças também aumentam o risco de virem a ser vítimas de abuso, como a hiperatividade ou a existência de doenças crónicas ou deficiência, que requerem cuidados especiais. Estes fatores de risco para o aparecimento de maus tratos, não são indicativos da sua existência nem servem, em circunstância alguma, para os justificar. Por isso, todos nós, enquanto familiares de crianças, temos o dever de estar atentos aos seus sinais, dando abertura para se exprimir sobre o que está a acontecer na sua escola com os seus amigos, nas coletividades em que está inserida, e na sua rede online.

Aquando o conhecimento de situações de maus-tratos, devemos informar as autoridades competentes, por forma a garantir a sua proteção. Em Almeirim podemos dar conhecimento da situação à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco, que têm feito o acompanhamento de muitos casos no nosso concelho.

 

Ana Rita Fernandes – Partido “Os Verdes”